perspectivas

Terça-feira, 16 Novembro 2010

O preto assimilado

Parece que está na moda uma nova espécie de germanofilia, diferente daquela que grassou com o advento de Salazar, mas não menos estúpida. Dentro deste espírito neo-germanófilo, diz-se que “Portugal morde na mão de quem nos dá de comer”.

Sinceramente, nem sei bem como pegar nesse texto. Faz-me lembrar um discurso do “preto assimilado”, que era um estatuto criado pela colonização portuguesa. O preto assimilado era um preto agradecido ao branco, na medida em que este lhe dava permissão de frequentar os meios sociais europeus nas colónias portuguesas em África. E o preto assimilado nunca “mordia na mão que lhe dava de comer” — subserviente e canino, trocava a sua dignidade por um prato de lentilhas.

Porém, o pior do preto assimilado é que não se dava conta de que estava, de facto, a perder com o negócio : em vez de ser a elite dos pretos, era a escória dos brancos.

5 comentários »

  1. Dentro deste espírito neo-germanófilo, diz-se que “Portugal morde na mão de quem nos dá de comer”.

    O título do post é, como bem deve ter lido: Morder na mão que lhes dá que comer.
    Como vê, não está lá a palavra Portugal nem o pronome “nos”, mas o pronome “lhe”, que significa “a eles”. Talvez não perceba a quem me refiro, mas isso é obviamente um problema seu.

    A alteração que lhe fez muda completamente o sentido. Nunca comentei nenhum post seu com qualquer tipo de reserva ou falta de honestidade intelectual. É apenas justo que lhe peça que faça o mesmo relativamente à minha pessoa.

    Sinceramente, nem sei bem como pegar nesse texto.

    Qual texto? Refere-se ao título que você adulterou? É que não há mais texto nenhum de minha autoria no post que refere…

    E, já agora, de onde é que você me conhece para me apodar de germanófilo? – Ainda por cima “baseado” na adulteração da frase de título do meu post. Faça favor de manter relativamente à minha pessoa a mesma polidez e boa-educação que eu sempre tive o cuidado de manter para consigo.

    Gostar

    Comentar por zedeportugal — Terça-feira, 16 Novembro 2010 @ 8:38 pm | Responder

  2. 1. Era o que faltava que Vc viesse aqui tolher a minha liberdade de escrever o que entender !

    2. Quando escrevemos um postal, devemos ser claros q.b.

    Se Vc diz que não escreveu aquilo que escreveu, não foi assim que interpretei — a não ser que Vc se considere fora do contexto do país.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Terça-feira, 16 Novembro 2010 @ 9:02 pm | Responder

  3. Pois parece que o wordpress não aceita comentários curtos. Eu apenas escrevi LOL! e não apareceu.
    LOL!

    Gostar

    Comentar por Henrique Sousa — Terça-feira, 16 Novembro 2010 @ 11:19 pm | Responder

  4. 😆

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Terça-feira, 16 Novembro 2010 @ 11:43 pm | Responder

  5. […] Postal escrito no seguimento d’ O Preto Assimilado (1) […]

    Gostar

    Pingback por O preto assimilado (2) « perspectivas — Quinta-feira, 18 Novembro 2010 @ 7:09 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: