perspectivas

Quinta-feira, 24 Junho 2010

Das Vierte Reich

Filed under: Europa,Política — O. Braga @ 1:32 am
Tags: , , , , , , ,

Nos próximos tempos iremos assistir a um recrudescimento da política alemã do “Ou nós, ou o caos”. Para isso, a Alemanha prepara-se para criar uma situação de correctivo exemplar, empurrando a Grécia para fora do Euro e, portanto, para fora da União Europeia. Ninguém coloca aqui em questão as responsabilidades da Grécia; o que não podemos colocar em causa é a existência de responsabilidades da Alemanha na política monetária europeia que levaram ao estado a que chegamos.

Durante dez anos de Euro, a Banca alemã encheu os bolsos à custa do endividamento de países como a Grécia. Agora, os Bancos alemães têm as dívidas de outros países em situação de cobrança, e querem receber os dividendos. E para isso, os alemães dizem aos países como a Grécia: “passem fome, se for necessário, para que o nosso país e a nossa economia fiquem mais ricos”. Esta é a “solidariedade europeia”, e foi neste engodo que todos nós caímos nos últimos 10 anos.

Os Bancos alemães conseguiram colocar o garrote nas economias mais pequenas da União Europeia através de um golpe de tenaz: por um lado, impondo a abertura da União Europeia às importações de países como a China ou a Indonésia — em que os operários andam descalços pelas fábricas —, (com excepção da política agrícola comum [PAC], que a França não permitiu a isenção de taxas alfandegárias); e por outro lado, e naquilo que ainda restava das economias mais fracas, a Alemanha invadiu os mercados dos pequenos países da União Europeia com os seus produtos, que por serem produzidos em grande quantidade, acabavam por ter preços finais mais baixos.

Densidade demográfica

Os alemães destruíram a parte da economia terceiro-mundista da União Europeia (substituindo-a pela China, Indonésia, etc.), e ao mesmo tempo impediram a substituição da economia terceiro-mundista nos países mais fracos por uma outra economia mais sofisticada (impondo o exclusivismo das suas exportações dentro da União Europeia). Isto é: os alemães querem tudo; querem aquilo que existe na União Europeia, e aquilo que não existe.

O problema começa quando depois de os Bancos alemães levarem praticamente à bancarrota os países mais pequenos, lhes exige agora que entrem em uma espécie de neo-escravatura neonazi para se pagar a dívida. É este o exemplo da solidariedade da União Europeia.

Agora, depois de terem sacado à fartazana e de terem destruído uma parte substancial das economias mais frágeis da União Europeia, a estratégia alemã é dizer aos países mais pequenos: “Olhem para a Grécia! Ou nós ou o caos!”. Depois de terem expulso a Grécia — que vai acontecer, mais cedo ou tarde —, os alemães irão dizer aos primeiro-ministros do que restar dos PIIGS: “ou a escravatura, ou a expulsão do Euro!”. Cumpre-se o sonho de Hitler por outros caminhos.

A política alemã não é inocente: é propositada e tem um fio condutor. Trata-se de realizar o sonho de um louco, sonho esse que foi um pesadelo para a humanidade. Conforme diz George Soros — e desta vez estou de acordo com ele — a Alemanha está isolada, não só na Europa como no mundo. Só não concordo com Soros numa coisa: quando ele diz que “a Alemanha tem medo da inflação”. A Alemanha não tem medo, coisa nenhuma. A política monetária europeia alemã em relação ao Euro é propositada, porque sabem os alemães que assim colocam de joelhos metade da Europa, e a outra metade acaba por cair por efeito de dominó.

3 comentários »

  1. Nem mais! Uma coisa que sempre me fez confusão mas que denunciava já esta política: a Europa, digo, Alemanha sabia que os fundos europeus andavam a ser desbaratados e nada fez para o impedir, deixou que os PIIGS se enterrassem, permitiu e até fomentou a corrupção.

    Gostar

    Comentar por Henrique — Quinta-feira, 24 Junho 2010 @ 10:12 am | Responder

  2. […] Das Vierte Reich « perspectivas. […]

    Gostar

    Pingback por Das Vierte Reich « perspectivas – hora absurda 7 — Quinta-feira, 24 Junho 2010 @ 10:16 am | Responder

  3. Mas é isso mesmo: as coisas não acontecem por acaso, e a Alemanha fechou os olhos para agora passar a humilhar.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Quinta-feira, 24 Junho 2010 @ 1:06 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: