perspectivas

Domingo, 1 Novembro 2009

O subjectivismo de Ayn Rand

Filed under: filosofia — O. Braga @ 9:09 pm
Tags: , ,

Hayek foi um óptimo economista que estragou tudo quando se meteu na filosofia misturando, no seu sistema, o cepticismo de Hume e o positivismo crítico (e a religiosidade) de Kant. Ayn Rand foi uma romancista notável que estragou tudo quando se meteu na filosofia misturando, no seu sistema, o senso-comum com a “realidade”. Ambos pertenciam a uma direita libertária, mas tenho (quase) tanto desprezo por este dois como tenho por Marx.

Na sua teoria, Ayn Rand parte de princípios tão antigos como o princípio da contradição e o princípio de identidade, mas fá-lo de um modo que nos dá a sensação que ela própria os descobriu. E ao mesmo tempo que sacraliza o axioma ― que é um “princípio” e por isso não depende de nada ― recusa a dimensão espiritual, como se em um mundo clássico, exclusivamente composto por matéria e determinado pelas leis de causa-efeito, pudessem existir efeitos sem causa — princípios que se impõem por si mesmos sem necessidade de depender de alguma outra coisa.

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: