perspectivas

Segunda-feira, 12 Outubro 2009

A esquizofrenia feminista

feminismo

Este postal, escrito na linguagem irreverente da juventude, revela as consequências da teoria do discurso e do feminismo na nossa cultura contemporânea, que se seguiu à queda do marxismo-leninismo. O que o artigo faz é constatar o efeito devastador, em termos culturais, causado pelo politicamente correcto.

O feminismo é anormal, isto é, avesso a normas. E por isso, as relações sociais entre os dois sexos passaram a ser um exercício de esquizofrenia quotidiana. Na expectativa, o homem espera que o feminismo ― que renega as normas culturais “passadistas” ― estabeleça as novas normas culturais que tornem possível um saudável relacionamento entre os dois sexos; porém, depressa o homem se dá conta de que não existe um padrão cultural e comportamental tipicamente “feminista” senão que esse padrão cultural feminista é caracterizado pela ausência de normas culturais.

Perante a ausência de “normas feministas”, existem essencialmente dois tipos de homens: aqueles ― como o que escreveu o postal ― que pretendem compreender o que se está realmente a passar com a influência do feminismo nas mulheres; e os outros que se aproveitam da estupidez feminista para tentarem um recorde das “cambalhotas sem compromisso” no Guiness Book.

O problema do feminismo só será compreendido pelas mulheres quando elas chegarem à conclusão que os relógios biológicos da mulher e do homem são diferentes, isto é, só depois dos 40 anos. Mas aí será tarde demais, porque existirão outras feministas de 20 ou 30 anos para entreter e alimentar a irresponsabilidade masculina das “cambalhotas sem compromisso”. Com o feminismo, as mulheres saem sempre a perder, mas elas não se dão conta disso senão quando se faz tarde.

2 comentários »

  1. O pior é que o feminismo, na ânsia de criar machos de saia, destrói a própria essência masculina, que se baseia no equilíbrio com o oposto. Ou seja, homens desfibrados, corrompidos pela mídia, fracassados e envergonhados de serem o que são.

    Gostar

    Comentar por bebeto_maya — Sábado, 17 Outubro 2009 @ 4:08 pm | Responder

  2. Engels revisou, complementou e finalizou alguns manuscritos não publicados por Marx – que havia falecido – saindo a partir disto “As origens da famíiia, da propriedade e do Estado”. Já tínhamos o Marxismo como teoria econômica e revolucionária – agora o marxismo cultural. A família nuclear é vista como “o fundamento de todas as repressões”. Miseravelmente, da luta por Direitos Civis passamos – nos 60 – para a guerra cultural. A Esquerda têm tido, worldwide, êxitos, no domínio da esfera politica, através dos embates políticos normais por oferecer propostas para problemas que nos são comuns como emprego, moradia, saúde, Entretanto os êxitos no plano político se tornam,o corredor utilizado pelos culturalistas para exigir implementações do Laboratório Cultural Socialista na legislação e no sistema educacional – ou seja: para as medidas culturalistas abarcarem o corpo inteiro da sociedade civil, Nos resta lutar, com unhas e dentes, pela manutenção do Pluralismo Cultural baseado em direitos civis fundamentais legítimos O marxismo cultura enlouquece, adoece e implode nossa cultura, Mas muitos têm dificuldade de perceber quão doentes são as feministas radicais…

    Gostar

    Comentar por kaliputrablog — Sexta-feira, 30 Outubro 2015 @ 1:52 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: