perspectivas

Segunda-feira, 17 Agosto 2009

Os socialistas europeus adoram contar as punhetas dos cidadãos

marx-hj

O governo regional da Andaluzia (socialista, como não poderia deixar de ser) lançou uma campanha pública ― em que gastou dinheiro dos contribuintes ― aconselhando as mulheres a masturbarem-se. Para além do que foi dito aqui acerca da masturbação espanhola, gostaria de acrescentar uma ou outra ideia.

O problema de quem caia na tentação de criticar este tipo de iniciativas socialistas e “progressistas”, é o de que será imediatamente apodado de “preconceituoso”, “inibido sexualmente a precisar de um psiquiatra”, “retrossexual”, etc. Num país como Espanha em que o desemprego anda à volta dos 19% da população activa, a preocupação dos socialistas é o de gastar dinheiro do erário público aconselhando as mulheres a masturbarem-se; se calhar, é para as fazer esquecer que não há dinheiro para o tacho: enquanto se masturbam ― pensam os socialistas ― não se dão conta de que têm fome.

Eu até percebo que os centros de saúde ― através dos médicos de família ― tenham um papel importante no aconselhamento pontual sobre a sexualidade dos utentes desde que estes peçam a opinião do médico. Não vejo nenhum problema nisso. O que me causa uma certa confusão é que um governo gaste dinheiro para orientar o comportamento sexual do cidadão que supostamente deveria ser coisa privada.

A esquerda dizia há pouco tempo que o Estado não tinha nada que se intrometer na cama do cidadão, e isto para criticar a moralidade religiosa. Agora vem essa mesma esquerda intrometer-se na sexualidade do cidadão ― agora em Espanha, antes em Inglaterra onde o governo socialista lançou uma campanha idêntica com o mote “uma punheta por dia dá saúde e faz crescer” (dantes eram os espinafres na sopa) ― tentando criar movimentos de opinião que se consubstanciem numa moralidade libertina.

Eu não tenho nada contra a masturbação; acho apenas que o Estado não tem nada a ver com as punhetas do cidadão.

Ando preocupado. Um dia destes, José Sócrates lança uma campanha com o nosso dinheiro defendendo a ideia de que levar no cu evita as visitas frequentes ao dentista. Há “um não sei quê” de um irracionalismo voyeur na atitude socialista — e os outros é que são doentios.

1 Comentário »

  1. Ai jasus!

    O mundo anda doidinho de todo!

    Gostar

    Comentar por alfabeta — Terça-feira, 18 Agosto 2009 @ 3:01 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: