perspectivas

Sexta-feira, 22 Maio 2009

Marinho Pinto e Manuela Moura Guedes

Filed under: Geral — O. Braga @ 8:51 pm

Peixeirada na TVI.

59 comentários »

  1. O espelho do nosso país !! Desgraça!!!

    Gostar

    Comentar por Fernando Alves — Sexta-feira, 22 Maio 2009 @ 9:59 pm | Responder

  2. Melhor que nada..ora revejam

    http://desmagnetizado.blogspot.com/

    Gostar

    Comentar por Fernando Alves — Sexta-feira, 22 Maio 2009 @ 10:14 pm | Responder

  3. Abençoado! Disse-lhe o que vai na cabeça de milhões de portugueses, incluindo na minha. Nada como ver aquela Srª posta no lugar, na sua própria casa – finalmente.

    Gostar

    Comentar por Rita Andrade — Sexta-feira, 22 Maio 2009 @ 10:22 pm | Responder

  4. Assisti ao mais alto debate de frontalidade como há poucos na Tv portuguesa.
    entre o digníssimo bastonário da O. A. e a pseudo-político-jornalista por “conta própria”.

    Debate demonstrativo da renhida luta pelo domínio das consciências do vulgo.
    Finalmente, percebemos o “jornalismo” esento de Manuela Moura.
    Obrigado Dr. Marinho Pinto.

    Fez-me lembrar a frase de Humberto Delgado: “obviamente demito-o”.

    Felizmente estamos em democracia, e felizmente a jornalista não represeta os advogados e muito menos o povo e muito menos tem a quantidade de logos suficiente, para enfrentar o que verticaliza o caracter do Dr. Marinho Pinto.

    Rídícula imagem a de Manuela Moura, numa simples “figura de papel”.

    Gostar

    Comentar por Luis Castro — Sexta-feira, 22 Maio 2009 @ 10:40 pm | Responder

  5. Com licença do Fernando Alves:

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Sexta-feira, 22 Maio 2009 @ 11:29 pm | Responder

  6. Finalmente… Pena que tenha sido em peixarada, a critica deve ser feita com serenidade.

    Gostar

    Comentar por Maria Santos — Sexta-feira, 22 Maio 2009 @ 11:32 pm | Responder

  7. Essa esbanjadora que se enche de dinheiro à custa de noticia de desgraçadinhos, na maioria das vezes com noticiários decadentes e de tão baixo nível, só colheu os frutos que semeou. Eu até estava arrepiado a ouvir as barbaridades que saiam daquelas bochechas.
    Acho que o Sr. Marinho Pinto até foi bastante benevolente e contido. Eu talvez lhe tivesse rebentado com o botox.
    .

    Gostar

    Comentar por antonio — Sexta-feira, 22 Maio 2009 @ 11:56 pm | Responder

  8. A menina-bem lisboeta desta vez enganou-se com quem se meteu ! Costuma servir-se da tribuna que tem para humilhar quem lhe apetece. Desta vez, lixou-se! Um transmontano, honesto, sincero, não-comprometido e lutador não leva desaforos para casa. O Dr. Marinho Pinto é cá dos meus ! Força! Continue a luta pela justiça e anti-corrupção.

    Gostar

    Comentar por Toino — Sábado, 23 Maio 2009 @ 12:24 am | Responder

  9. Obrigado Marinho Pinto ,

    Façam com eu ,enviem um mail para a Prisa ( accionista da Tvi ) mostrando a vossa indignação pelo facto de permitirem
    que esta senhora faça de um jornal nacional um autentico circo .

    proveedores@prisa.es

    comunicacion@prisa.es

    ia@prisa.es

    Eles deveriam de receber centenas de mails , porque só assim pondere-mos retirar aquela senhora da Antena .

    Gostar

    Comentar por Antero Ferreira — Sábado, 23 Maio 2009 @ 12:42 am | Responder

  10. Assisti á entrevista na integra e confesso que me senti como não me sentia há anos: Orgulhoso de ser português! Porque vi e ouvi um homem a dizer o que milhões de portugueses sabem e querem gritar mas não tem/sabem como nem onde, pelo menos de forma minimamente eficaz. Senti-me deveras representado! Se foi à moda da peixeirada? Talvez…mas há coisas que tem que ser ditas em determinado tom e a rudeza do tom por vezes cria o enfâse necessário para que determinadas mensagens passem.
    Viva o Dr. Marinho Pinto ! Afinal há pelo menos um homem sério e com a coragem suficiente para denunciar as poucas vergonhas que por nós passam e a fazer alguma mossa. Bem haja!

    Gostar

    Comentar por Sandro Alexandre — Sábado, 23 Maio 2009 @ 12:51 am | Responder

  11. […] Marinho Pinto e Manuela Moura Guedes […]

    Gostar

    Pingback por Moura Guedes e Marinho Pinto: quando a TV é a notícia « Jornalismo e Comunicação — Sábado, 23 Maio 2009 @ 1:16 am | Responder

  12. POR UM JORNALISMO A SÈRIO…ASSINEM:
    http://www.ipetitions.com/petition/MANUELAMOURAGUEDES/

    Gostar

    Comentar por peticao — Sábado, 23 Maio 2009 @ 5:35 am | Responder

  13. Já era tempo de alguém “virar o bico ao prego” relativamente à Senhora Manuela Moura Guedes. O Sr Bastonário disse aquilo que toda a gente pensa e em sede própria, ou seja, cara a cara.
    Esta senhora não dá as notícias, fabrica-as e aprecio especialmente aquele chavão que é usado muita vez antes das peças, “a TVI sabe”.
    Pensar que esta senhora já foi deputada…….faz-me descrer na democracia.
    Há alguns anos abandonei a Advocacia por muitas razões que o actual Bastonário tem vindo a denunciar. Acho que devia colocar um pouco mais de “protocolo” nos seus discursos, mas certo é que o que diz é verdade e todos sabem disso. No entanto, a Senhora Manuela Moura Guedes não é digna de protocolos, com ela só mesmo aplicando a regra do talião.
    Ontem, depois do Jornal da TVI, apeteceu-me voltar a Advocacia.
    Bem haja Senhor Bastonário e prepare-se porque entretanto há-se aparecer o Sr. José Alberto Moniz, com aquela cara séria, a defender a sua dama, como fez aquando da situação do 1º Ministro.
    Pena que estas verdades contribuam para aumentar as audiências. O Jornal da TVI é como o Big Brother, toda a gente dizia que não via, mas na verdade viam!!

    Gostar

    Comentar por José Ribeiro — Sábado, 23 Maio 2009 @ 7:43 am | Responder

  14. O que me pareceu é que as hostes do PS entraram em desespero…

    Gostar

    Comentar por Henrique — Sábado, 23 Maio 2009 @ 9:39 am | Responder

  15. É de facto, impressionante como a comunicação social em portugal manipula, ou tenta manipular, pessoas conforme lhes convem!
    Enquanto viviamos sob pressão de um estado fascista antes de 1974,neste momento vivemos sob um dominio de corrupção social economico e politico que muito dificilmente conseguiremos livrar-nos!
    São pessoas como o Bastonário da ordem dos advogados que nos dão alguma esperança para combater estes mal-feitores que afundam cada vez mais este país e tentam calar quem consegue ver os podres desta nação.
    Espero que o povo português, através destas atitudes, disperte o orgulho e todos juntos conseguiremos derrubar este “cancro manipulador politico-social” que existe na nossa patria!
    Espera-nos uma nova revolução do Séc. XXI

    Gostar

    Comentar por Nelson — Sábado, 23 Maio 2009 @ 12:48 pm | Responder

  16. que a ordem dos advogados não seja manipulada pela tvi, e que nao crucifiquem aquele que deve ser considerado como um herói. Que a coragem que teve seja um motivo de inspiração para todos os que podem ter algum caracter itnerventivo na sociedade. Fico muito feliz por existir alguém assim.

    Gostar

    Comentar por Catarina Sobral — Sábado, 23 Maio 2009 @ 1:11 pm | Responder

  17. Oh Sr. Henrique

    Só faltava vir para aqui com politica, deixe lá isso para lá…

    Isto é a realidade que todos têm visto sextas à noite no “JORNAL NACIONAL”

    Politica é com os politicos, que eu saiba. Ela que volte para o seu partido de eleição (http://pt.wikipedia.org/wiki/Manuela_Moura_Guedes) e faça frente a quem quiser.

    Agora meter-se num ecran de televisão todas as sextas feiras com aventureirismos jornalisticos… valha-me deus!!

    Nem sei se ela voltou a ter carteira de jornalista, pois esteve “caçada” à uns anos atrás e isso nem o Marinho Pinto sabia, senão também tinha levado com essa!

    Zé Eduardo, cuida dela pois ela bem merece!

    Gostar

    Comentar por joao — Sábado, 23 Maio 2009 @ 5:21 pm | Responder

  18. Grande coragem e determinação nesta entrevista da TVI, muito obrigado Doutor Marinho Pinto pois já há muito tempo que não vibrava tanto com uma entrevista.
    A Pivô da TVI estava precisando desta esfrega, está mentalizada que o mundo lhe pertence, já vivi este filme noutros tempos mas agora acabou.Felismente temos pessoas como o senhor.

    Gostar

    Comentar por ANTÓNIO MORAIS — Sábado, 23 Maio 2009 @ 5:41 pm | Responder

  19. Vamos seguir uma lógica dialéctica sobre esta matéria.

    1. Em ambos os lados da contenda (MMG e MP) é óbvio que existem alinhamentos políticos claros, embora nenhum dos lados assuma esse alinhamento político : MMG é anti-Sócrates e MP é pró-Sócrates.

    2. É tão criticável que uma jornalista alinhe política e partidariamente, quanto um bastonário da Ordem dos Advogados o faça também frequentando tudo o que é meio de comunicação social.

    3. A RTP2 e a SIC generalista “alinham” muitas vezes as suas posições contra a oposição política a Sócrates, e nem por isso existem entrevistados da oposição aos berros nas entrevistas.

    4. O Dr. Marinho Pinto prestou um serviço inestimável ao Jornal da TVI de Sexta-feira, que vai seguramente aumentar a sua audiência.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Sábado, 23 Maio 2009 @ 7:04 pm | Responder

  20. “Em nome da transparência”

    António Marinho Pinto é mais do que apenas o bastonário da Ordem dos Advogados. Este homem do norte é polémico quanto baste, porque não dizer provocador. No entanto, é um combatente de causas que chama “os bois pelo nome”. É frontal, intrépido, solidário, talvez o último dos românticos que tenta colocar a justiça num patamar a que todas as classes sociais acedam. Fundamentalmente, aquilo que uma verdadeira política de esquerda deveria preencher. Pôs em sentido a magistratura portuguesa fazendo uma clara distinção de tarefas: incompatibilidade entre a advocacia e a política, ou seja, não pode continuar a haver manigâncias entre o poder político legislativo e a profissão de advogado. Denunciou aquilo que todos sabemos – o país tem o triplo dos advogados que necessita. Precisamos de pessoas deste calibre, de sólidos princípios, que deixem os tiques de superioridade e passem a estar junto do povo, dos injustiçados. Isto é o que se chama um Estado de Direito.

    Gostar

    Comentar por Dylan — Sábado, 23 Maio 2009 @ 7:33 pm | Responder

  21. vídeo da entrevista Completa de Manuela Moura Guedes a Marinho Pinto

    http://trocaopasso.wordpress.com/2009/05/23/entrevista-completa-de-manuela-moura-guedes-a-marinho-pinto/

    Gostar

    Comentar por RM — Sábado, 23 Maio 2009 @ 7:47 pm | Responder

  22. Simplesmente fantástico. N se deixou manipular…

    Gostar

    Comentar por Pedro — Sábado, 23 Maio 2009 @ 9:10 pm | Responder

  23. Entendo que o que se passou no jornal da noite foi uma prova efectiva do tipo de informação que recebemos semanalmente pela mulher do director da TVI Sra. Manuela Moura Guedes e que ilustra falta de postura, etica, comportamento vergonhoso no relacionamento com os seus convidados.
    Mostra que a TVI sera para mim um canal a mudar quando esta senhora pretender fazer “Jornalismo”

    Gostar

    Comentar por António de Coimbra — Sábado, 23 Maio 2009 @ 10:09 pm | Responder

  24. http://www.petitiononline.com/mouratvi/ Petição against Moura Guedes

    Gostar

    Comentar por Afonso Miranda — Sábado, 23 Maio 2009 @ 11:01 pm | Responder

  25. O que este país não está habituado é que se digam as coisas com frontalidade, quando acontece fica tudo alarmado.

    O Bastonário passou-se (elevou o tom) porque a boca grande do jornalismo pequeno faz passar qualquer um.
    Não poderá haver serenidade para tal afronta e disparate. Vamos ver o que é que o maridinho Moniz vem defender agora.

    Marinho Pinto é a raça pura Coimbrã. Aguentem-se…

    Gostar

    Comentar por Denúncia Coimbrã — Domingo, 24 Maio 2009 @ 12:04 am | Responder

  26. não concordo com a manuela moura guedes, com o marinho, não me vou pronunciar, a discussão faz parte de um debate, com razão ou sem ela o entrevistador e o entrevistado tem que se aguentar a bronca, ser uma figura publica e com responsabilidades não é facil, porque a imagem que passam acabam por influenciar o zé povinho! agora ai está… a manuela moura guedes fala com as pessoas sejam elas quais forem, com a maior arrogancia, má educação, egocentrismo e mediocridade que nunca poderia estar presente num jornalista que apresenta um jornal em horario nobre com meio portugal a ver…. um jornalista tem de se manter imparcial por muito que custe, o povo portugues tem de saber pensar por si proprio e não em falsos juizos criados por uma porta voz do mediatismo presente em portugal! o marinho, não digo que esteve bem nem mal…acho que qualquer um de nos se tivesse numa entrevista onde temos uma pacovia a atira-nos pedras com a mao, se defenderiam, ele respondeu lhe a letra, secalhar ja tava na altura de alguem perder a paciencia, acho que toda a gente a perde, muito mais com uma jornalista que contribui para a ignorancia de quem é fâ dela! tvi…não condeno quem ve, so tenho é pena… essa televisao ja perdeu a muito os seus valores e principios. mas pronto quem sou eu ze ninguem pa falar.

    Gostar

    Comentar por paulo — Domingo, 24 Maio 2009 @ 6:41 am | Responder

  27. Percebo quem tenha gostado do «chá» à MMG, mas não vejo outra razão para o M.P. ter perdido a cabeça senão o sentir-se «apalpado» na sua postura pro-socrática. A fulana, por pior que seja, seria contornável, ele só tinha que defender os seus pontos de vista com convicção sem ofender quem o entrevista. Aliás ele aceiou ser entrevistado… Ou será que só aceitou para poder fazer o que fez? Já trazia a lição estudada?

    Gostar

    Comentar por Henrique — Domingo, 24 Maio 2009 @ 9:57 am | Responder

  28. Depois de Sócrates, a ladroagem é tanta neste país que até o teclado já me anda a roubar letras…

    Gostar

    Comentar por Henrique — Domingo, 24 Maio 2009 @ 9:59 am | Responder

  29. MARAVILHOSO.
    Foi esplendoroso assistir ao massacre e humilhação da MMG. Obrigado Marinho Pinto.

    P.S.Qanto ao comentário 19 da “lógica dialéctica”…digamos que os 3 primeiros pontos podem até ter alguma “dialéctica” pena é serem incorrectos…os factos ás vezes atrapalham. Meter o Marinho Pinto e a MMG no mesmo saco é um pouco patético e injusto.

    cumprimentos

    Gostar

    Comentar por Andre N — Domingo, 24 Maio 2009 @ 1:23 pm | Responder

  30. a vantagem tecnológica de se ter um telecomando é que quer rápidamente “saio” do canal tvi que em 99% dos conteudos é lixo e quando aparece o Sr. Bastonário mudo também, pois 99% é demagogia ( no seu pior) e é pena pois ele já foi um homem interssante e não demagogo, mas o “poder” subiu-lhe à cabeça. Estão bem um para o outro e para a maioria dos portuguesinhos que se vêm vingados das tristezas do dia a dia nesta peixeiradas em directo. O COMANDO É SEU!!!!!

    Gostar

    Comentar por miguel coimbra — Domingo, 24 Maio 2009 @ 1:29 pm | Responder

  31. Declarações de Marinho Pinto:

    O bastonário, por sua vez, disse ao CM:’Lamento que não haja respeito pelo valor do jornalismo e pela estação de televisão, pelos profissionais, pelos convidados e pelos telespectadores. Porque um jornalista a sério nunca se prestaria a manipular os factos, a construir uma tese acusatória’.

    Correio da Manhã

    Quando a informação é enviesada a favor da Esquerda, nunca vi o MP a vir a terreiro denunciar o enviesamento esquerdista, e nem é essa a sua obrigação ou função. Mas quando está em causa determinado partido político, MP dá o peito às balas.

    A estratégia de MP é semelhante à de Manuel Alegre: a “oposição interna”. Quando parece que existe uma oposição interna dentro de um partido, dá sempre a ideia ao povo de que vale a pena votar sempre no mesmo.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Domingo, 24 Maio 2009 @ 2:07 pm | Responder

  32. […] — O. Braga @ 2:32 pm Eram 8:51 da noite de Sexta-feira, 22 de Maio, quando publiquei este postal que contém apenas três palavras. O resultado foi […]

    Gostar

    Pingback por Assim vai o País… « perspectivas — Domingo, 24 Maio 2009 @ 2:32 pm | Responder

  33. Força Dr. Marinho Pinto, sinto-me representada pela sua voz. Pela Verdade, Humildade, respeito e transparencia. Por um pais melhor com mais valores humanos.

    E Moura

    Gostar

    Comentar por elisabete — Domingo, 24 Maio 2009 @ 2:34 pm | Responder

  34. eu que não me identifico com partido politico nenhum,posso arbritar e declarar um vencedor.se aquilo foi um combate esquerda versus direita..ganhou a esquerda de marinho pinto.a manuela freeport foi ridicularizada como ja a muito tempo merecia e provou que a sua inteligencia lhe vem das bochechas(uma coisa disforme que tem de cada um dos lados da sua vala comum,a bocarra),com respeito a acusar de ladroagem o governo de socrates,pois aceito que em certos aspectos áte á verdade,mas nao nos podemos esquecer do bando do cavaco(os donos do bpn,que fizeram o maior assalto da historia mundial,todos eles ex ministros e secretarios de estado do psd.penso que as pessoas deviam começar a pensar mais numa estrema esquerda ou numa estrema direita moderadas e fazerem delas uma opçao do que andarem a lutar a fovar de uma geraçao maldita de politicos que nos governam e roubam desde 1974. pensem nisso.

    Gostar

    Comentar por Miguel — Domingo, 24 Maio 2009 @ 2:47 pm | Responder

  35. O meu bastonário é um homem invulgar para os tempos que correm. Obriga-nos a mexermo-nos nas confortáveis cadeiras onde estamos sentados, diz-nos que é possível pensar e exprimir o pensamento com coragem, que não faz falta a ninguém uma organização corporativa politicamente correcta como a ordem dos advogados o tem sido, que o tempo das vénias já devia ter acabado há muito, que temos que repensar o mundo sem medo, que é mortal esta inércia a que estamos conscientemente confinados. O lixo da mediocridade que coroa a “grande boca da pequena informação”, como alguém acima disse, deve ser boicotada activamente por todos a quem restar um pingo de vergonha. Obrigada António.

    Gostar

    Comentar por isabel duarte — Domingo, 24 Maio 2009 @ 2:48 pm | Responder

  36. Força Dr. Marinho Pinto,

    Assim..pelo menos o Povo tem alguém que o represente e, certamente serão muitos milhões talvez muitos mais do aqueles que possamos pensar. Continue a sua luta pela transparência o nosso País bem precisa de si.

    Obrigado!

    Cumprimentos
    Adelino Rito

    Gostar

    Comentar por adelino rito — Domingo, 24 Maio 2009 @ 4:03 pm | Responder

  37. O noticiário da TVI à Sexta-Feira é digno dum país o 3º Mundo. Depois da mulher do presidente acusar com arrogancia tudo e todos vem o presidente, valer-se da sua posição, em defesa da dama dizer da sua “justiça”. O Dr. Marinho Pinto não tem uma televisão para poder responder.

    Gostar

    Comentar por Luís Silva — Domingo, 24 Maio 2009 @ 4:12 pm | Responder

  38. Onde pára e o que faz o organismo que regula a comunicação social? Porque não cassam a carteira de jornalista (se é que a tem) a uma imbecil com é a MMG? A comissão da carteira de jornalista só quer o dinheiro da revalidação anual das carteiras, é isso? Para que serve o código deontológico tão apregoado nos cursos de jornalismo? Essa senhora NÃO pode fazer jornalismo, não sabe, nunca soube.
    Goste-se ou não, há que felicitar o Marinho Pinto pela coragem, aliás que tem demonstrado em relação a muitas outra coisas, e não me parece que seja populista ou demagogo, como o corporativismo elitista da classe quer fazer passar. O lugar desse homem era à frente de um governo, é de gente assim que o país precisa. É pena que ele não queira.

    Gostar

    Comentar por Joao Costa — Domingo, 24 Maio 2009 @ 4:58 pm | Responder

  39. Infelizmente há poucos portugueses como o Srº Bastonário, Os meus parabéns e muito OB.

    Gostar

    Comentar por José Fernandes — Domingo, 24 Maio 2009 @ 5:12 pm | Responder

  40. Agradeço ao Drº Marinho Pinto o ter calado de um vez, a pior jornalista que portugal tem.

    Gostar

    Comentar por Vitor Manuel de Oliveira Braga — Domingo, 24 Maio 2009 @ 6:45 pm | Responder

  41. FINALMENTE ALGUEM COM CORAGEM DE DIZER NAO AO JORNALISMO MEDIUCRE DA TVI;;;;
    ALGUEM COM OS TARECOS OU OS BOBIS NO SITIO CERTO PARA CALAR A BOCA A QUEM SO DIZ ASNEIRAS E DEITA VENENO DA BOCA PARA FORA:::
    FORCA DR MARINHO PINTO

    Gostar

    Comentar por CABRAL — Domingo, 24 Maio 2009 @ 8:25 pm | Responder

  42. Quero aqui afirmar o meu desagrado perante todas as críticas que aqui foram sendo ditas.

    Sou um jovem de 18 anos, e vejo o meu país a ser cada vez mais comido pelo Governo. Vejamos temáticas como desemprego, educação, indústrias, enfim.

    Reparemos no papel dos Senhores com grandes poisios ( denominados de tachos ou assentos), como exemplo José Socrates, Marinho Pinto e muitos outros. Estes, que escondem a democracia deste país, que preferem ganhar salários estupidamente elevados, que ganharão reformas chorudas, e ainda se atrevem a cometer ou encobrir fraudes que se vão passando lá com “os grandes”.

    Enerva-me sinceramente ver que coisas como Tratado de Lisboa nunca foram democráticas, o povo português nem sequer sabe de que se trata e que vantagens traz.

    Vejamos agora o que o Jornalismo da Sexta à noite na TVI faz:
    -julga todos aqueles que não são julgados porque safam-se da justiça, paresentando provas ou factos que os fazem desviar a conversa como o Sr. Marinho Pinto;
    -mostra a este país factos e condições deste país, os podres portugueses que são totalmente escondidos pelo Senhores de grande nível que o preferem assim porque lhes convém.

    Desculpem a minha opiniao, mas sou um rapazinho com alguma cidadania, e reparo que estes portugueses que comentam isto gostam de ser estupidamente comidos por aqueles que podem. Desculpem, mas enquanto poder, nunca aceitarei que um órgão presidencial como PM ou PR não esclareçam duvidas que são de todos, e que a Comunicação Social serve de Meio.

    Espero que estejam um pouco mais lúcidos destas conclusões tiradas por um jovem que pretende um futuro melhor deste país, isento politicamente ou partidariamente, apenas com consciência global da bosta que vai passando neste país, apenas o cheiro que muda.

    Gostar

    Comentar por Pedro Bandeira — Segunda-feira, 25 Maio 2009 @ 12:07 am | Responder

  43. Gostava de poder dizer pessoalmente ao Dr. Marinho Pinto (sou uma Colega de Coimbra) que, quem assim falou, representa os juristas de carácter e competência técnica; Essa Senhora, (se isto se pode chamar a uma pessoa com tão pouco nível)não só revelou ao país um modelo de ignorância do papel de jornalista, como a usurpação de poderes que o “marido” lhe confere.
    Obrigada Dr. Marinho; para si, o que dizia o poeta:-“mesmo na noite mais triste… em tempo de servidão… HÁ SEMPRE ALGUÉM que resiste! HÁ SEMPRE ALGUÉM que diz NÃO!
    Com muita admiração.

    Gostar

    Comentar por anabela oliveira — Segunda-feira, 25 Maio 2009 @ 11:50 am | Responder

  44. Pois é “jovem”…. Que estranho dares esses dois exemplos (Sócrates e Marinho Pinto), ainda não conheceste os outros?(Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Isaltino Morais, Etc). Tens de “crescer” e depois aparecer…

    Luis

    Gostar

    Comentar por Luis — Segunda-feira, 25 Maio 2009 @ 12:37 pm | Responder

  45. Estava eu a descrer no jornalismo actual, quando o Dr. António Marinho e Pinto (que já foi jornalista que bem conheço dessa época)vem à ribalta prestar um inexcedível serviço à classe; melhor, às classes: jornalistas e advogados. De facto, há muito não havia uma lição tão alargada, mesmo que com os nervos à flor da pele – um homem não é de ferro! -, de jornalismo, como deve ser: sério credível e apaixonante.
    Há que separar o trigo do joio, como fez o Bastonário da Ordem dos Advogados: há jornalistas sérios e outros nem por isso, como em todas as classes profissionais. Marinho e Pinto denuncia sem o malfadado corporativismo visceral que perspassa pela sociedade portuguesa – algo que vem das nossas circunstâncias do passado.
    Apesar de tudo, tivemos um excelente motivo para reflexão. Que jornalismo queremos? Parece-me que não se deseja é isto que se faz por aí (a TVI da Senhora Manuela M. Guedes é so um infeliz exemplo) – conquista de “audiências” a qualquer custo. Marinho e Pinto não está pelos ajustes e faz ele muito bem (quem não se sente…). É de gente assim que Portugal precisa – mais diplomacia, menos diplomacia, pouco importa. O que importa é a frontalidade e isso assusta muita gente – os mal habituados; os eufemistas do costume.
    Conheço o actual Bastonário da OA há muitos anos, desde quando era (formalmente) proibido ser frontal. E ele sempre o foi, mesmo que tal lhe tivesse custado agressões e a prisão (ler o seu livro “As faces da Justiça”, de Dezembro de 2003, cujo prefácio é o libelo acusatório de que foi alvo na crise académica em Coimbra). Sempre o conheci um homem solidário e defensor dos mais fracos e humildes, na vida e na barra do tribunal (sem cobrar emolumentos, pagando ainda por cima). Sempre vi em António Marinho um jornalista sério, frontal, credível e fiel seguidor da Deontologia profissional; um combatente corajoso pelas causas em que acreditava – como agora se pode verificar.
    Será António Marinho um alvo a abater? Talvez, infelizmente. Como em outros casos em que pessoas com a coragem de denunciarem situações graves foram humilhadas e ostracizadas – lembremo-nos, como exemplos, o médico Albino Aroso e as denúncias acerca do sangue contaminado e o deputado António Campos e o caso então emergente da “doença das vacas loucas”.
    Calar António Marinho? Acredito que não o consigam, que não é homem para deixar as coisas pela mediocridade. Como muitos gostariam, para ser a condizer com o resto…
    Mas que nós, Portugueses, precisamos de Homens assim, precisamos! Atente-te em comentários de gente jovem, aqui.

    Gostar

    Comentar por Manuel Correia/Coimbra — Segunda-feira, 25 Maio 2009 @ 3:13 pm | Responder

  46. Assinem o manifesto de apoio a Marinho Pinto, à permanência no cargo de Bastonário da ordem dos advogados e como cidadão de coragem!
    petitiononline(.)com/marpinto/
    Divulguem pelos vossos contactos!

    Gostar

    Comentar por José Eduardo — Segunda-feira, 25 Maio 2009 @ 8:37 pm | Responder

  47. Caro Luís

    Apenas referi nomes que tenham sido nomeados atrás..
    Um pouco mais de atenção bastava…
    Sinceramente continuo a apreciar que, pessoas como o Senhor, são tão básicas que não sabem ver que os jovens serão os próximos donos da porcaria de mundo que os adultos vão deixar.

    “Tens” de “te” informar, aprender regras de socialização e de respeito, e aparecer…

    Gostar

    Comentar por Pedro Bandeira — Segunda-feira, 25 Maio 2009 @ 11:04 pm | Responder

  48. Quanto á entrevista entre o Sr. Marinho Pinto e Manuela Moura Guedes, quero dizer desde já que o Sr Bastonário me encheu de orgulho e satisfação por tudo o que disse aquela pseudo-jornalista e que vale a pena acreditarmos em homens como ele. Manifesto desde já o meu apoio para com o Sr. Bastonário.
    Ja agora queria referir o seguinte: ja viram que nos dias posteriores á entrevista não houve um canal televisivo, um jornal, uma radio que comentasse o que foi falado entre Marinho Pinto e Manuela Moura Guedes!!! Acho estranho, uma vez que quando há entrevistas polémicas os canais da concorrencia vêm logo com campainhas noticiar e referem o que de mais importante se falou… mas aqui fez.se silencio e não houve um único canal que repassa-se a entrevista ou um comentador que fizesse um único comentário…
    Porque será???
    é triste…
    Obrigado Marinho Pinto pela coragem e determinação!! Aquela mulher precisave de um chasinho destes há mt tempo. Força!!

    Gostar

    Comentar por Francisca — Terça-feira, 26 Maio 2009 @ 1:02 am | Responder

  49. http://www.ipetitions.com/petition/MANUELAMOURAGUEDES/

    Pelo fim do pseudo-jormalismo!!

    Gostar

    Comentar por PETIÇÃOc — Terça-feira, 26 Maio 2009 @ 3:15 am | Responder

  50. “O Desordenado”, por Mário Crespo.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Terça-feira, 26 Maio 2009 @ 3:41 pm | Responder

  51. Bem haja, Caro Dr Marinho Pinto!
    Se não fora de tempos a tempos aparecer um Digníssimo Bastonário assim – com a dignidade de não dizer senão as próprias convições -, só ouviríamos falar o ‘Politicamente Correcto’. Contudo, todos sabem, incluindo eu, que o ‘Politicamente Correcto’ é sempre o Incorrecto, aquilo que não deveria ser – a mentira e as meias-tintas. De furta-cores, de vira-casacas e dos que só dizem o ‘Politicamente Correcto’ está este pobre Povo farto!
    Orgãos de Informação, como um canal televisivo têm um poder arrasador, que tanto pode destruir a dignidade do indivíduo mais honesto como elevar às mais altas honras o maior canalha de todos os tempos. Então, a formação moral e intelectual do profissional da informação deve-lo-ia levar a repensar o que dizer muito antes de o ter dito. Ainda não são estes profissionais os deuses e os reis desta pobre aldeia terceiro-mundista no contexto europeu, esta aldeia denominada Portugal. Dignidade! Dignidade! Dignidade! (Re)aprandamos o que isso é.

    Gostar

    Comentar por Zé Ninguém — Quinta-feira, 28 Maio 2009 @ 4:13 am | Responder

  52. Como muitos portugueses dignos e que se prezam , tanto como seres humanos como portadores da nossa cultura PORTUGUESA, não poderia deixar de escrever aqui algumas palavras sobre o tema em causa.
    Esta questão diz-nos sem sombra de duvidas respeito a todos nós. Com todo o respeito pelos objectivos da instituição televisiva que é a TVI assim como a Intituição ordem dos advogados elas fazem parte da sociedade só que com objectivos completamente diferentes.
    Os primeiros têm que informar e os segundos têm que controlar o exercicio da profissão dos seus membros, de acordo com as leis consagradas nos decretos, na constituição e nos direitos universais do homem. O canal televisivo convida o digno Representante de uma das mais altas e responsaveis instituições de homens cujo fim é defender os objectivos acima indicados. Este representante foi eleito por mais de 30% dos advogados do nosso país. O Jornalista está ali como portavoz de uma instituição para o qual é pago e não é eleito. O Jornalista está ali para questionar e tentar saber da opinião de alguem responsavel. Atravez das perguntas e respostas tenta-se esclarecer as audiencias, clarificar e levar á população em geral a informação devidamente ordenada e perceptivel.
    Cada um interpreta-a como entender de acordo com o seu projecto de vida. Coloca-se no lado que entender. É livre.

    Portanto os campos de observancia dos temas será sempre antagónico(ou não). O canal de televisão tem que preencher este papel de interlocotor dos temas que entenda levar ao pequeno ecran. Como tal deixe o juizo para quem quiser ver e acompanhar.
    Agora repare-se no que está a acontecer e a confusão que é própria deste tipo de comportamento como o que foi o da jornalista MMG.
    Quer ser investigadora da informação e dos factos, isto é que ser detective, policia etc.
    Quer ser advogada de acusação para uns
    Quer ser advogada de defesa para os outros
    Quer ser Juiza
    Quer ser a pessoa correctamente politica
    Quer ser éticamente correcta e respeitadora
    Quer ser detentora de toda a verdade.

    A senhora quer ser tudo menos jornalista.

    É este o objectivo da instituição canal de televisão que a senhora MMG está a representar naquele momento ??

    Será que o director e patrão da instituição está de acordo ???

    Em qualquer empresa um empregado desta estirpe era logo substituido no cargo senão despedido por comportamento incorrecto e contra o interesse da instituição ( empresa).

    Agora em relação ao digno defensor da justiça em Portugal.

    É criticado por aparecer em todos os canais de comunicação social. Jornais, rádio, televisão, revistas, internet , blogs e tudo o mais.

    É criticado por dizer o que outras individualidades já disseram.

    É criticado por ser ditador dentro da ordem.

    É criticado por dizer o que acha errado na nossa sociedade .

    É criticado pelas soluções que fala para resolver situações e querer dar uma nova objectividade á ordem que representa e que tem tanto gosto em representar.

    É acusado de vir para a praça publica dizer o que deve dizer, e muito mais quando o interrogam e do modo como foi tratado num canal de televisão na hora nobre.

    Ele defende-se de tudo e com válida argumentação.

    Agora vejamos.
    Quantas pessoas leem os jornais diarios sem serem os jornais desportivos ?????

    Já repararam quantas pessoas veem a televisão e qual é a audiencia nas horas nobres ???????????
    Qual é a forma de ele ser escutado pela população ??? É ir a todas as oportunidades que lhe ofereçam e que ele próprio organize.
    Aqui está, quanto a mim, a forma bem clara e directa do Advogado consciente e político que é o doutor Marinho Pinto em chegar á população.
    Deste modo vai contactando com a população e faz chegar até ela a informação que não chega ao comum do cidadão portugues atravez dos jornais. Lembram-se o que ele disse á senhora MMG ???. “Se me convidarem novamente eu volto cá , e cá estarei a dizer o mesmo”
    Ele vai a todo o lado , com as suas mensagens e os seus objectivos muito bem definidos e claros na sua pasta.

    O facto de ele vir muitas das vezes para a TV repetir temas sublinhar assuntos é para esclarecer a população e dizer de uma forma que o povo entende o que se passa na area que ele domina e para a qual está super vocacionado. A JUSTIÇA E A VERDADE.

    Marinho Pinto é um homen consciente e politico. Sabe muito bem o que diz. O Projecto do doutor Marinho Pinto é Universal e transversal á sociedade portuguesa. A Justição não é de alguns é de todos.

    Acho que ele pode e deve continuar a contribuir da melhor maneira para a nossa sociedade.

    Deve ser respeitado ,compreendido, discutido e estudado no que pode servir e representar junto de nós enquanto estiver vivo, e que se mantenha muitos anos junto de nós e com a lucidez que tem
    Marinho PInto é o génio como Manuel de Oliveira no cinema. Durante anos mal compreendido, agora com 100 anos de idade e ainda entre nós o maior dos realizadores e o mais velho do mundo respeitado e solicitado.
    Enquanto as pessoas estiverem entre nós com estas ideias como as de Marinho Pinto , devem ser bem tratadas, respeitadas e protegidas na nossa sociedade.
    E Não o CONTRÁRIO.

    Este quanto a mim o aspecto mais importante ao momento

    Gostar

    Comentar por A. Silva — Domingo, 31 Maio 2009 @ 11:20 am | Responder

    • Marinho Pinto “virou” herói, o super-homem que vai salvar o PS das suas próprias contradições, o cavaleiro andante que vai resgatar a dama aviltada…

      Gostar

      Comentar por O. Braga — Domingo, 31 Maio 2009 @ 6:12 pm | Responder

  53. Obrigada Dr. Marinho, disse o k muitos queremos dizer e pensamos. Essa senhora se não fosse casada com quem é não estaria há muito fora do ecran?falta-lhe tudo a começar pela boa educação. Quando convidamos alguém para a nossa casa(o k não é o caso dela, pois é apenas uma empregada k ganha muito e demais), mesmo que se discorde com o nosso convidado é de bom ton respeitá-lo,e não julgá-lo ou não será?De que está convencida?Bonita infelizmente não é, é só plástico, bom português não tem, bom vocabulário falta-lhe. Vejamos a dificuldade que tem nos comentários que faz com o convidado no fim do telejornal.Quando não é capaz de os desenvolver (o que sistemático) com o convidado recorre ao riso irónico da ignorância.É o que temos. A seguir levamos com outra lição de boa cultura(telenovelas e mais telenovelas).O Salazar era futebol, fátima e fado. E assim vai es nosso País.

    Gostar

    Comentar por maria rodrigues — Sábado, 6 Junho 2009 @ 6:08 pm | Responder

  54. quero dizer(o que é sistemático )e mais (este) e não (es), peço desculpa pelo meu português.Possivelmente também já o meu pobre teclado se tornou ignorante.
    É a força do hábito.
    Mais uma vez obrigada Dr. Marinho

    Esá na hora de mudar de canal para ver se aprendo alguma coisa

    Gostar

    Comentar por maria rodrigues — Sábado, 6 Junho 2009 @ 6:24 pm | Responder

  55. Em 09/01/09, ao assistir à manipulação jornalística de Manuela Moura Guedes, enviei um email à TVI onde, com detalhes factuais, fundamentei a minha indignação. Nesse contexto lembrei que Manuela Moura Guedes foi deputada da direita e na TVI passou a aproveitar todas as oportunidades para continuar a servir as suas convicções políticas.
    Claro que não recebi resposta da TVI. E quanto à senhora, continua a prestar um péssimo serviço ao jornalismo, como se viu com o Bastonário da Ordem dos Advogados. A pseudo jornalista continua em cena e continuará enquanto depender do próprio marido, que apadrinha tanta falta de rigor, incompetência e arrogância. O pseudo jornalismo de Manuela Moura Guedes é trauliteiro, ao estilo da Miss Piggy de uma série televisiva passada. Quanto ao estilo caceteiro que exibe, Manuela Moura Guedes tende a ser uma réplica da Miss Piggy, transformando o jornal das 6ªs. feiras da TVI no Jornal da Miss Piggy à Portuguesa. Passei a ver o programa com esta perspectiva deixei de me indignar. Agora divirto-me imenso com o Jornal da Miss Piggy e até peço ao José Eduardo Moniz que não me prive de tamanho divertimento.

    Gostar

    Comentar por Jorge Silva — Terça-feira, 9 Junho 2009 @ 11:36 pm | Responder

  56. Só fiquei sabendo hoje (14/06) do acontecido, porque de3ixei de acreditar no jornalismo televisivo onde estes profissionais querem ser vedetas, querem brilhar mais que o entrevistado e a pior de todos é MMG. Façam uma lista para colocar essa “Jornalista” pra fora que eu assino.

    Gostar

    Comentar por Maria Espadilha — Domingo, 14 Junho 2009 @ 4:39 pm | Responder

  57. São precisoa os dois no nosso país, para denunciar o nosso sistemo politico actual, mas não é preciso perderem tempo com debates na televisao, enquanto os nossos politicos se riem, porque o país virou as suas atenções para outro lado.
    Manifesto da Indignação
    Considerando que:
    – O sistema político em Portugal não consegue definir uma política
    social de cidadania que conduza à realização das pessoas;

    – O afastamento dos cidadãos em relação às responsabilidades políticas
    é devida aos eleitos e partidos;

    – Existe uma classe de Poder que tutela autoritariamente e contra as pessoas;

    – Há a necessidade imperiosa de sanear as instituições, eliminando do
    sistema ilegitimidades que o abuso do Poder tem permitido;

    – A denegação de direitos e garantias (Alimentação, Saúde, Habitação,
    Educação, Trabalho e Justiça) impedem a realização de pessoas de pleno
    direito;

    – Interesses interligados, interpenetram a sociedade e pelo logro e
    cansaço, esvaziam de Poder as pessoas;

    – A manipulação constante e mentira faz-nos joguete de interesses
    particulares e ocultos;

    – O descontentamento social é geral e afecta em todos os sentidos o
    tecido humano do País;

    – O sentimento dominante em Portugal é de nada ter mudado e que se age
    contra as pessoas (e não a favor) atentando continuamente contra a sua
    dignidade.

    Colocam-se aos actores do Poder, as seguintes questões:

    – Porque continuar a suportar, sustentar e pagar a incompetência,
    incapacidade e prejuízos gerais de políticas particulares?

    – Porque permite a lei não haver a responsabilização dos detentores do
    poder por prejuízo ao bem público?

    – Porque até órgãos de soberania falham na protecção e defesa das
    pessoas, abstendo-se de denunciar e intervir, justificando como não
    ingerência?

    -A evolução social do País é a actual vigência de falta de
    solidariedade e respeito entre pessoas e instituições?

    -Porque continuar com um sistema que as pessoas não querem, não
    acreditam, nem confiam?

    – Vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar!
    Portugal é hoje a angústia de não se ter futuro. País dividido – nós
    e os outros. País de sonhos roubados. Amargurado, amordaçado, amarrado
    e silenciado. Fracturado.
    E agora unido – em indignação pelo cercear constante de Liberdade e
    Direitos. Para que o Poder receba, contundente, reprovação. Pela
    ofensa feita às pessoas em gozo permanente de rega-bofe, pago à custa
    de todos nós.
    Faixas pretas são descontentamento, denúncia. E luto por um País que
    não queremos. Estáticas ou em movimento – de qualquer tamanho. Nas
    roupas, janelas, varandas, viaturas, muros, etc.
    Faixas pretas, por que a confiança nas instituições, poderes e
    representantes – cujo o dever é proteger, cuidar e defender –, essa
    confiança, morreu. Não se confia em: políticos, poder, promessas,
    servidores da causa pública e que falem em nome de nós.
    Portugal não pode ser uma quinta, dividida entre famílias.
    Queremos o Portugal a que temos direito e que o Poder nos roubou. Um
    País justo, bom, solidário e protector das pessoas, que têm orgulho em
    lhe pertencer e naturalmente, amam e defendem. Queremos que Portugal
    se realize e cumpra. Ao expressar a nossa indignação, demonstramos,
    formação cívica e consciência em cumprirmos um dever básico da
    cidadania: acabar definitivamente com este sistema injusto que atenta
    contra a vivência colectiva. E entregarmos à Nação o poder legitimo,
    legal e representativo das pessoas.
    Importa pois e é urgente fazer luto por este Portugal que não é
    nosso, para que em Liberdade plena, com orgulho, convicção e emoção,
    possamos gritar:
    – Viva, Portugal!

    Movimento da Indignação

    Manifesto da Indignação

    Considerando que:

    – O sistema político em Portugal não consegue definir uma política
    social de cidadania que conduza à realização das pessoas;

    – O afastamento dos cidadãos em relação às responsabilidades políticas
    é devida aos eleitos e partidos;

    – Existe uma classe de Poder que tutela autoritariamente e contra as pessoas;

    – Há a necessidade imperiosa de sanear as instituições, eliminando do
    sistema ilegitimidades que o abuso do Poder tem permitido;

    – A denegação de direitos e garantias (Alimentação, Saúde, Habitação,
    Educação, Trabalho e Justiça) impedem a realização de pessoas de pleno
    direito;

    – Interesses interligados, interpenetram a sociedade e pelo logro e
    cansaço, esvaziam de Poder as pessoas;

    – A manipulação constante e mentira faz-nos joguete de interesses
    particulares e ocultos;

    – O descontentamento social é geral e afecta em todos os sentidos o
    tecido humano do País;

    – O sentimento dominante em Portugal é de nada ter mudado e que se age
    contra as pessoas (e não a favor) atentando continuamente contra a sua
    dignidade.

    Colocam-se aos actores do Poder, as seguintes questões:

    – Porque continuar a suportar, sustentar e pagar a incompetência,
    incapacidade e prejuízos gerais de políticas particulares?

    – Porque permite a lei não haver a responsabilização dos detentores do
    poder por prejuízo ao bem público?

    – Porque até órgãos de soberania falham na protecção e defesa das
    pessoas, abstendo-se de denunciar e intervir, justificando como não
    ingerência?

    -A evolução social do País é a actual vigência de falta de
    solidariedade e respeito entre pessoas e instituições?

    -Porque continuar com um sistema que as pessoas não querem, não
    acreditam, nem confiam?

    – Vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar!
    Portugal é hoje a angústia de não se ter futuro. País dividido – nós
    e os outros. País de sonhos roubados. Amargurado, amordaçado, amarrado
    e silenciado. Fracturado.
    E agora unido – em indignação pelo cercear constante de Liberdade e
    Direitos. Para que o Poder receba, contundente, reprovação. Pela
    ofensa feita às pessoas em gozo permanente de rega-bofe, pago à custa
    de todos nós.
    Faixas pretas são descontentamento, denúncia. E luto por um País que
    não queremos. Estáticas ou em movimento – de qualquer tamanho. Nas
    roupas, janelas, varandas, viaturas, muros, etc.
    Faixas pretas, por que a confiança nas instituições, poderes e
    representantes – cujo o dever é proteger, cuidar e defender –, essa
    confiança, morreu. Não se confia em: políticos, poder, promessas,
    servidores da causa pública e que falem em nome de nós.
    Portugal não pode ser uma quinta, dividida entre famílias.
    Queremos o Portugal a que temos direito e que o Poder nos roubou. Um
    País justo, bom, solidário e protector das pessoas, que têm orgulho em
    lhe pertencer e naturalmente, amam e defendem. Queremos que Portugal
    se realize e cumpra. Ao expressar a nossa indignação, demonstramos,
    formação cívica e consciência em cumprirmos um dever básico da
    cidadania: acabar definitivamente com este sistema injusto que atenta
    contra a vivência colectiva. E entregarmos à Nação o poder legitimo,
    legal e representativo das pessoas.
    Importa pois e é urgente fazer luto por este Portugal que não é
    nosso, para que em Liberdade plena, com orgulho, convicção e emoção,
    possamos gritar:
    – Viva, Portugal!

    Movimento da Indignação

    Gostar

    Comentar por João Carlos Gaspar - Movimento indignação — Sexta-feira, 9 Outubro 2009 @ 12:46 am | Responder

  58. […] a aumentar (ver a imagem) ao longo dos anos, sendo que o postal com mais visitas, desde sempre, foi este (1.753 visitas). Actualmente, a média de visitas ao blogue é de 1.500 por […]

    Gostar

    Pingback por 900 mil visitas em 4 anos « perspectivas — Sábado, 11 Junho 2011 @ 11:12 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: