perspectivas

Quinta-feira, 26 Fevereiro 2009

Charles Darwin não era ateu e não era contra o Criacionismo

Filed under: Darwinismo — O. Braga @ 1:10 pm
Tags: , , ,

Este texto de Olavo de Carvalho (que critica a beatificação de Charles Darwin por parte do novo clero cientificista) é interessante porque, em primeiro lugar, desmistifica a ideia de que Darwin foi original na sua teoria, e em segundo lugar porque revela o facto ― que hoje é meticulosamente ocultado ― de que Darwin admitia o criacionismo como causa prima e em conjugação com o evolucionismo. Darwin distinguia claramente a “criação” da “evolução”.

Por outro lado, é preciso referir que Darwin não se assumia como ateu; ele escreveu uma carta a um amigo em 1879 (ver o livro “A Vida e a Correspondência de Charles Darwin”, 1887, publicado do seu filho Francis Darwin):

«Sejam quais forem as minhas convicções sobre este tema [religião], elas só pode ter importância para mim próprio. Mas, já que mo perguntas, posso assegurar-te que o meu juízo sofre, amiúde, flutuações…Nas minhas maiores oscilações, nunca cheguei ao ateísmo no verdadeiro sentido da palavra, isto é, nunca cheguei a negar a existência de Deus.»

Portanto, quem diz que Darwin era ateu, mente. Quem diz que Darwin baseou a evolução das espécies numa causa prima não-criacionista, mente.

O evolucionismo de Darwin circunscrevia-se à Biologia que tenta explicar a evolução dos organismos terrestres, e não à Física ― ou à Filosofia ― que tenta explicar a origem das leis do universo; Charles Darwin fez muito bem essa distinção entre Biologia e Física, coisa que os biólogos actuais, regra geral, não fazem quando transformam o evolucionismo numa doutrina universal ― o evolucionismo é uma generalização da doutrina biológica da transformação da espécie.

Como escreve Olavo de Carvalho, Charles Darwin não foi sequer original na sua teoria: para além do tio de Darwin, o naturalista Erasmus Darwin (referido no texto como sendo “avô”), podemos contar também os nomes de Buffon (1707-1788), o próprio Kant que constatou na sua “Crítica do Juízo” a probabilidade da evolução contínua da nebulosa primitiva até ao Homem, e essencialmente Lamarck (1744 – 1829), para além de Charles Lyell (1797-1875).

Portanto: 1) Darwin foi tudo menos original. 2) Darwin não era ateu, não foi contra o criacionismo, nem era anti-religião.

Nota: quando se fala aqui em “criacionismo”, não me refiro ao criacionismo bíblico entendido de uma forma literal porque sabemos de que se trata de um conjunto de metáforas, mas antes ao chamado “Desenho Inteligente” defendido por muitos cientistas, entre eles o bioquímico e professor universitário, Michael Behe.

Anúncios

8 comentários »

  1. Sim senhor, muito oportuno este texto e estas referências. Quando venho aqui aprendo sempre alguma coisa.

    Comentar por Octávio Lima — Sexta-feira, 27 Fevereiro 2009 @ 12:38 am | Responder

  2. Oi, é a 1° vez que passo aqui e achei seu texto muito bom!
    Esses dias estava vendo tv e achei um especial sobre darwin bem legal, nesse site mostra os horarios e maiores informaçoes, se voce quiser dar uma olhada: http://mais.uol.com.br/view/8zedvdipch98/especial-mas-de-darwin-04023468D8916326?types=A&
    Valeu!

    Comentar por Bia — Sexta-feira, 27 Fevereiro 2009 @ 5:44 pm | Responder

  3. Quero parabelizar,seu texto foi excelente, me ajudou muito em uma pesquisa que estou fazendo a respeito de Charles Darwin.Com certeza enriqueceu bastante, meus conhecimento, obrigada e parabens.

    Comentar por ivone Maria — Sexta-feira, 27 Março 2009 @ 9:27 pm | Responder

  4. Como se costuma dizer… Se Darwin era teólogo e escreveu a origem das espécies, porquê que alguns cientistas não podem falar de criacionismo? 🙂

    Comentar por samdbz — Quinta-feira, 24 Setembro 2009 @ 12:11 pm | Responder

  5. @ samdbz: Darwin não era propriamente um teólogo, nem isso foi dito aqui do postal. O que se disse é que Darwin nunca se assumiu como ateu, o que é coisa muito diferente.

    Por outro lado, o criacionismo bíblico não é a mesma coisa que a teoria do Desenho Inteligente.

    Comentar por O. Braga — Quinta-feira, 24 Setembro 2009 @ 12:17 pm | Responder

  6. O texto mais objetivo que encontrei sobre a religião de darwin. Embora muito objetivo, talvez pudesse sacrificar um pouco dessa objetividade para adquirir mais informações.
    O conteúdo do texto podia se expandir mais, porém sem perder o tema da religião de Darwin.

    Comentar por Nirdaw — Terça-feira, 1 Dezembro 2009 @ 6:25 pm | Responder

  7. Na própria carta introdutória da obra “A origem das espécies” Darwin já alerta pro fato de 34 autores terem levantado a lebra da teoria. Logo, acho desnecessário falar sobre o óbvio para demerecer o tratado que tem o mérito de se aprofundar na “teoria” (se é teoria, é porque ela não é 100% confiavel já que não foi provada, mas especulada com base na Razão).
    De fato ele não era ateu, mas após a morte de sua filha (anos depois da carta em que afirma não ser ateu e apenas 7 anos antes do lançamento do livro) biografos e pesquisadores acreditam que Darwin perdeu a crenã total em um Deus benevolente. Não conheço fontes sobre isso, mas sei que não podemos apenas com base em uma parte do tema crer que ele era ou não contra o criacionismo porque isso não esta, como a “teoria”, 100% provada. Na guerra entre cristãos e ateus, cada um vai puxar sardinha pro seu lado. O que não concordo é pessoas que não leram a obra de Darwin se basear em comentários alheios para basear suas opiniões sem aprofundamento e hoje em dia, com a web cheio de pitacos soltos a revelia, estamos ai cheio de gente que pensa que conheçe da coisa, usa argumentos pouco aprofundados sobre um tema para atacar os outros e ninguem convence ninguem porque tudo não passa de Estratagemas Eristicos sofismáticos.

    Comentar por marco — Terça-feira, 10 Maio 2011 @ 2:40 pm | Responder

    • @ Marco:

      este blogue é feito para pessoas que não têm muita informação sobre a vida de Darwin e não tem a noção do que é uma teoria.

      Em segundo lugar, existe um facto: a carta assinada pelo punho de Darwin segundo a qual ele afirmava que não era ateu. E para além deste facto, não existe nenhum outro facto real e objectivo, imputável a Darwin, que contradiga o primeiro e referido facto. A especulação que você faz acerca do que aconteceu eventual e alegadamente com Darwin depois da sua filha ter falecido, não passa disso mesmo: pura especulação.

      Em terceiro lugar, o evolucionismo da vida na terra, a existir na realidade — porque não passa de uma teoria, na medida em que é impossível explicar as mutações das formas — não significa que o universo não tenha sido criado. A ideia segundo a qual o evolucionismo da vida no planeta Terra é sinónimo de não-criação do universo, é absurda.

      Comentar por O. Braga — Terça-feira, 10 Maio 2011 @ 8:37 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.