perspectivas

Sábado, 9 Fevereiro 2008

Zeitgeist 3 (e último)

As teorias da conspiração são legítimas desde que existam indícios minimamente credíveis que coloquem a teoria da conspiração num patamar racional.
Dou um exemplo: quando dizemos que a maçonaria esteve por detrás dos grandes conflitos mundiais desde há 200 anos a esta parte, trata-se de uma teoria da conspiração, porque não podemos fazer prova desta alegação; mas a verdade é que podemos provar que a esmagadora maioria dos presidentes americanos pertenceram à maçonaria, inluindo o Harry Truman que mandou lançar as bombas nucleares sobre o Japão. Portanto, não existindo provas de que a maçonaria esteve por detrás das grandes guerras mundiais, podemos contudo afirmar que os grandes vultos da política mundial desde há 200 anos eram maçons, e concluir daqui que seria legítima a ilacção de que a maçonaria pudesse estar por detrás desses conflitos. Compreendido?

O que não podemos dizer é que o próprio governo americano mandou as torres gémeas abaixo e que os aviões que embateram nas torres gémeas não existiram; ou se existiram, não podemos dizer que os islamitas que pilotaram os aviões não existiram. Quando a teoria da conspiração ignora factos básicos, passa a ser uma idiotice. Compreendido?

Em segundo lugar, e sobre a referência do Zeitgeist ao cristianismo, já estou cansado de dizer que o cristianismo adoptou muitos rituais do paganismo pré-cristão, e seria prolixo enumerar aqui os rituais adoptados. Porém, o facto de o cristianismo ter adoptado muitos rituais pagãos não retira nada ao valor da mensagem de Jesus Cristo, e quem não vê isto não está a usar a sua inteligência. Quando matamos o mensageiro porque não gostamos da mensagem, não significa que a mensagem não tenha existido. Compreendido?

Quanto à economia mundial e à visão marxista do Zeitgeist, estamos conversados; ainda estou à espera que apareça um país marxista que tenha mais respeito pela cidadania do que os países capitalistas. Quando isso acontecer, darei mais atenção ao Zeitgeist.

Ler também:

14 comentários »

  1. Olá

    Desculpe a invasão, vim aqui para desfazer qualquer mal-entendido. O fato de haver discordado de suas opiniões não implica, necessariamente que eu esteja certa e você errado ou o inverso.

    Limitei-me a rebater os argumentos e Só.
    E só deixei um link com sua página pq, citando seu texto, deixar de fazê-lo seria desonestidade, posto que impossibilitaria vc de refutar o que eu escrevi.

    Não desejo antagonismos de nenhuma direção.

    Abraços!
    🙂

    Gostar

    Comentar por fatima — Sábado, 9 Fevereiro 2008 @ 4:10 pm | Responder

  2. A manipulação da opinião usando a boa-fé e os bons princípios das pessoas provoca asco. Descobri este site onde se diz alguma verdade. Mas estará, de alguma forma comprometido com a corrente Zeitgeist?

    http://www.signoraggio.com

    Gostar

    Comentar por Henrique — Domingo, 10 Fevereiro 2008 @ 11:16 am | Responder

  3. Confesso que tenho extrema dificuldade em ler italiano. Não percebi metade do que está no site.

    Gostar

    Comentar por Orlando — Segunda-feira, 11 Fevereiro 2008 @ 9:47 am | Responder

  4. Zeitgeist Refuted,
    http://video.google.com/videoplay?docid=7572663630528394775

    Como o filme que diz ser jesus uma conspiração e nao tem autor de quem tenha feito o filme.

    No refutado ja podemos mostrar a cara de quem nao precisa ter medo de mostrar as ideias.

    É o mais interessante de tudo isso é que depois de mais de 2000 anos, um favelado que nao tinha obras pintadas nem era rei para seu proprio povo, nunca desapareceu como os antigos deuses e reinados.

    Isso que devemos pensar, porque esta perseguição sobre jesus a mais de 2000 anos.

    Gostar

    Comentar por Rafael Nakel — Quinta-feira, 17 Abril 2008 @ 7:31 pm | Responder

  5. A “perseguição” a Jesus Cristo sempre foi uma das formas da igreja manter o poder,assim como nos fazer acreditar num “pecado original” para não termos escapatoria,por mais inocente sempre há o pecado…
    A velha politica de culpa e medo…
    O valor da mensagem pode ser talvez não invalidada mas fica complicado crer numa mensagem que pregada como unica e original sendo que não é…
    Então basta crer nos ensinamentos e filosofias
    originais sem necessariamente seguir uma que usa doutrinas de outras exsitentes como se fossem suas…
    Quanto ao “mensageiro” a mensagem pode até ter existido,mas não quer dizer que a mensagem fosse realmente sua ou que chegou até até nós na sua forma original,sem as famosas manipulações…
    E quem ” não está a usar a inteligencia” é quem prefere mitos para resolver seus proprios problemas…
    Quem acredita sem questionar ou questiona para se esconder

    Gostar

    Comentar por eu — Segunda-feira, 4 Maio 2009 @ 2:44 pm | Responder

  6. Caro “eu” :

    “A “perseguição” a Jesus Cristo sempre foi uma das formas da igreja manter o poder,assim como nos fazer acreditar num “pecado original” para não termos escapatoria, por mais inocente sempre há o pecado…”

    A geração a que Vc pertence é a “geração canguru” que nunca tem pecado nem culpa, porque a culpa é sempre e invariavelmente dos outros. Quem tem uma obsessão com a “culpa” e com o pecado é Vc, e depois acusa os outros dessa obsessão.

    “A velha politica de culpa e medo…”

    A política da culpa e medo é a que Vcs (a esquerda) defendem hoje, quando pretendem aterrorizar o povo com o “aquecimento global” que afinal já não existe e se transformou em “mudanças climáticas”, com a manipulação dos me®dia que de uma forma sensacionalista e de forma a aterrorizar o povo quando transforma a gripe suína na gripe espanhola de 1918, etc. A política da culpa e do medo é a vossa. Vcs precisam do medo geral para ganhar o poder, tal como Hitler e Bush fizeram.

    “O valor da mensagem pode ser talvez não invalidada mas fica complicado crer numa mensagem que pregada como unica e original sendo que não é…
    Então basta crer nos ensinamentos e filosofias”

    Quando Vc não crê em “ensinamentos e filosofias”, Vc está exactamente a crer em “ensinamentos e filosofias”. A diferença é o grau de credibilidade que os diferentes “ensinamentos e filosofias” podem ter.

    “Quanto ao “mensageiro” a mensagem pode até ter existido,mas não quer dizer que a mensagem fosse realmente sua ou que chegou até até nós na sua forma original,sem as famosas manipulações…”

    Existem Evangelhos apócrifos que foram descobertos há bem pouco tempo ― como o evangelho de Judas, descoberto no Egipto há 4 ou 5 anos atrás ― que corroboram no essencial os quatro Evangelhos oficiais do Cristianismo. O problema das pessoas é que dão opinião sem ter a preocupação de se fundamentar convenientemente.

    “E quem ” não está a usar a inteligencia” é quem prefere mitos para resolver seus proprios problemas…”

    Quem defende que a crença dos outros é um mito, baseia a sua própria crença na ideia que está isento de mitos. O pior mito de todos é aquele que actua de forma inconsciente e que se superioriza ao mito dos outros.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Terça-feira, 5 Maio 2009 @ 5:23 am | Responder

  7. Cristo, se existiu, não era cristão. Marx não era marxista. Há teorias e há conspirações. As teorias podem ser comprovadas ou desacreditadas. Fato: conspiradores não assinam documentos a fim de que suas vilezas sejam comprovadas. Teoria de conspiração é uma palavra de falsa inteligência, amplamente difundida para ridicularizar pensamentos e pessoas, matando-as moralmente.

    Lamento que o Muro de Berlim não lhes tenha ensinado nada. O maior muro ainda habita em suas consciências. Em séculos ainda não nos libertamos do bárbaro, do mentiroso, do pior que existe em nossas atitudes, sempre dispostos a reproduzir modelos de dominação e de segregação.

    Gostar

    Comentar por Luis — Sábado, 12 Dezembro 2009 @ 5:27 pm | Responder

  8. @ Luís :

    Depois dos muitos documentos comprovativos― incluindo os documentos dos Evangelhos segundo Judas descobertos muito recentemente no Egipto ― da existência histórica de Cristo, não é possível negar a existência de um Jesus histórico, a não ser da parte de uma pessoa de má-fé ou de um mentecapto.

    https://espectivas.wordpress.com/2008/07/31/jesus-existiu/

    Cristo foi o primeiro cristão, e a afirmação de que Cristo não era cristão é um estereótipo politicamente correcto, marxista cultural. Segundo o princípio de identidade (A=A), Cristo não poderia ser outra coisa senão igual a si mesmo, e nesse sentido seria o único cristão que alguma vez existiu, porque todas as outras pessoas se limitaram a utilizar a Sua identidade como um paradigma. Seria mais correcto dizer que “eu sou um seguidor do cristianismo, e portanto, de Cristo”, em vez de dizer que “eu sou cristão” . Assim, o único verdadeiro cristão que sempre existiu foi Cristo, assim como o único e verdadeiro marxista que existiu foi Karl Marx. Porém, quando eu digo que “sou cristão”, ou digo que alguém é “marxista”, faço-o (como toda a gente faz) por uma questão de facilitação da linguagem e expressão de conceitos.

    Não é possível que você considere implicitamente que pode existir uma teoria da conspiração em torno da existência do Jesus histórico (quando você coloca a hipótese de Ele nunca ter existido), e depois venha dizer que a teoria da conspiração é uma “palavra de falsa inteligência”. Você tem que ter cuidado com as suas próprias contradições.

    O muro de Berlim não ensinou nada à esquerda marxista cultural, porque o gnosticismo é uma corruptela da religião que prevalece na mente revolucionária.

    https://espectivas.wordpress.com/a-mente-revolucionaria/

    A ideia de que é possível construir um paraíso na terra e eliminar todas as formas de dominação e de segregação, ou é a manifestação de uma doença mental, ou é ela mesma parte de uma estratégia ideológica e cultural de dominação antidemocrática e neomarxista. As desigualdades sempre existirão neste mundo; quem diz o contrário ou precisa de ir imediatamente ao psiquiatra, ou utiliza a mentira e a falácia para a concentração de poder antidemocrático.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Sábado, 12 Dezembro 2009 @ 6:33 pm | Responder

  9. Opiniões…embora não devam ser discutidas..acabam sempre por ser e os Filmes Zeitgeist 2007/2008 e agora 2009 são filmes que tem como fundamento estórias, histórias, factos, argumentos completos e imcompletos, racicinios deturpados e outros bastante claros e mais importante Lógicos, sugiro o seguinte:
    A mente escolhe o que quer ver…
    Poderão ver os filmes como mentira, como verdade como descrédito da religião, como assassino de esperanças e fé, ou como uma obra-prima como muitas outras que pretende demonstrar um lado que o ser Humano sente e serão hipócritas a aqueles que afirmem não sentirem que sempre existiu algo errado com a religião cristã , assim como qualquer outra, apesar da mensagem ser indiferente, pois esta transcende ao mensageiro, o problema somos Nós! que nos corrompe-mos, enganamo-nos, matamo-nos…
    Serão falsos ou de severa limitação cerebral e telepatica-humana aqueles que não tenham sido e continuem a não ser e a não querer ver que teorias da conspiração têm um Fundo de VERACIDADE! Governo ou não morreram pessoas em torno de jogos politicos e monetários por isso:
    1 é existência,
    2 providência,
    3 coincidência… liguem o cérebro acreditem no que quiserem, mas antes que cuspam emoção cuspam um introspecção de processos lógicos que vos inclina a acreditar no que para vós, é vero, verdade, lógico, aceitável, provável, falso, ou tanga…
    só porquem não acreditam não deixa de ser verdade para muitos

    Lenine disse: “um mentira contada vezes de mais tornam-se verdade”
    acontecimentos, dão estórias/história que por sua vez dão lendas e lendas consequentemente dão filmes, documentários e até mesmo religiões!
    Politica e religião = A arte da Retórica!

    Gostar

    Comentar por Ricardo Silva — Terça-feira, 5 Janeiro 2010 @ 2:03 pm | Responder

  10. Esquerdismo, cristianismo, capitalismo… o cristianismo, na vertente bíblica do termo era mais esquerdista do que qualquer tipo político actualmente definido. O cristianismo bíblico ensinava o “socialismo utópico”, o cristianismo papal o capitalismo. Não brinquem, nenhuma mensagem foi atacada quando se falou de Cristo no Zeitgeist, e se algum dos super-esclarecidos defensores de cristinismo aqui já alguma vez leu Aristóteles ou mesmo Platão, ficaria boquiaberto a semelhança de muitos pensamentos desses gregos com as doutrinas cristãs posteriores. O cristianismo não inventou, adoptou e manipulou. De qualquer forma, partindo do princípio que Cristo, sim, existiu, alguém explique a semelhança entre ele e muitos deuses pagãos.

    Gostar

    Comentar por Pentacúspide — Sábado, 29 Maio 2010 @ 8:17 pm | Responder

  11. @ Pentacúspide:

    Você mistura capitalismo com os gregos, e a Bíblia com o esquerdismo. Não sei como analisar o seu comentário.

    A filosofia grega é apenas uma de três componentes do catolicismo. As outras duas foram o judaísmo (que deu o carácter monoteísta ao cristianismo, que os gregos não possuíam) e o direito romano (que deu origem ao direito canónico da Igreja católica).

    Você devia ganhar mais um pouco de prática, ler um pouco mais sobre estes assuntos. Por exemplo, a noção de Deus como sendo “o Pai” (não é só um Deus pessoal; é um Pai de cada um de nós) foi totalmente criada pelo cristianismo — esta noção não existia antes de Jesus Cristo. Nenhuma religião antes de Jesus Cristo dizia para “amar os teus inimigos”; algumas delas, como o budismo, dizia para “tolerar os teus inimigos”, mas “amar” é diferente de “tolerar”. Nenhuma religião antes de Jesus Cristo dizia para “dar a outra face” quando uma pessoa é agredida. Você precisa de ler alguma coisa sobre a História das Religiões. Você precisa de prática.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Sábado, 29 Maio 2010 @ 9:09 pm | Responder

  12. Primeiro lugar… Me considerem um grande mentiroso logo de plano e se algo lhe tocar e achar que fazem sentido, não acreditem em mim, por gentileza. Busquem a informação e a racionalizem por si próprios.

    Apontar problemas…

    A intenção não era afirmar absolutamente nada, como já dito em meus simplórios textos, já que não sou especialista e muito menos um puro intelectual. Na melhor das hipóteses, me considero um filósofo do mais simples bar. Não tenho formação, tempo e profundidade necessária nos inúmeros ramos do conhecimento humano para tentar formular uma míope visão de mundo, englobando vários ramos e especialidades de ambas as correntes, sejam elas de origem liberal, marxista, ateísta, religiosa ou qualquer par de opostos que a mente humana possa classificar.

    A crescente fragmentação do conhecimento humano (necessária devido a nossa inegável limitação de apenas um sujeito ter conhecimento em profundidade de todos os ramos do conhecimento humano) e a não comunicação com os outros, devido a negativa de plausibilidade de outras idéias, apenas servem para a proteção do próprio castelo intelectual e medo que seus próprios dogmas sejam abalados.

    Nunca pensei, que os grandes Mestres (seja por título acadêmico ou por reconhecimento público entre seus pares) tivessem a enorme dificuldade de quebrar os próprios espelhos, no qual reflete apenas e tão somente suas próprias idéias e seus seguidores que orbitam o ego destes e retornassem a dialogar com as armas baixas uns com os outros.

    Não conseguem ver os outros e muito menos se comunicarem, no escopo de se verificar semelhanças entre eles. O que existe, é apenas o apontar de problemas e diferenças entre eles, mas isto, em meu humilde ponto de vista, não leva a proposições racionais e multidisciplinares de soluções para problemas graves que se descortinam no início do sec. XXI.

    Em meu estrito ponto de vista, é necessário a reunião destes, para um saudável diálogo e não discussão, no intuito da formação de um consenso independente (ouvidos a todos e não apenas os expoentes de mercado e ideologias) minimamente aceitável do conhecimento humano, construído como uma direção básica para ações que visem a resolução de inúmeros problemas tipicamente HUMANOS. Não se trata de apontar destinos, e sim direções (iluminar o caminho).

    Bem, se não estiverem dispostos a isto, a propaganda e a indústria cultural o continuará fazendo. Concorda com isto?

    Em relação as teorias conspiratórias, tenha em mente, que países e seus agentes que o governam, não são “bonzinhos” ou “malzinhos”, seria tanta inocência, quanto acreditar que os EUA fazem guerra no intuito sagrado da democratização das nações por eles consideradas dignas de sua ajuda. Países e seus agentes agem por interesses e não por defesa de ideologias. Ideologias são apenas os meios para estes e não os próprios objetivos. Ataques de falsa bandeira, são instrumentos comuns de se provocarem conflitos em defesa de interesses daqueles que o patrocinaram. A história do sec.XX, tem muitos exemplos do tipo. Procure informações com estrategistas militares.

    Toda a informação ao qual é publicada no mundo em suas diversas mídias, provém de poucos conglomerados, e estes por sua vez, também tem interesses ao qual defendem. Este verdadeiro golpe a democratização da cultura e informação, que entrou em fase acelerada nos fins do sec.XX, é que tem provocado toda esta confusão.

    É completamente insano, acreditar que aqueles que detem o poder neste período histórico, não possuam planos de curto, médio e longo prazo para a defesa de seus interesses. Até meu amigo dono de uma pequeno mercado, faz este tipo de planejamento.

    No mais, excelente o artigo.

    Um cordial abraço.

    In Ághape.

    PS. Se quiser a identidade dos ditos conspiradores, não vejo problemas, mas terá que assumir a segurança destes e seus familiares. És capaz de assumir esta responsabilidade?

    Gostar

    Comentar por Fernando Sinzato — Segunda-feira, 31 Maio 2010 @ 6:52 am | Responder

  13. Apenas um adendo…

    Poucos se percebem, que uma das maiores contribuições a ciência física, partiu de um membro da própria igreja católica, porém, demorou-se muito a comunidade científica a aceitar sua nova teoria do Big Bang, pois pensava-se que suas idéias eram apenas para afirmar sua crença religiosa.

    Honrado e digna pessoa este cientista e padre. No mínimo mereceria um busto do mais puro bronze como reconhecimento do seu trabalho em prol da humanidade.

    Dogmatismos estão por toda parte, e com o tempo levam a fragmentação e dispersão da sociedade pela incapacidade de comunicação em seus diferentes grupos.

    Gostar

    Comentar por Fernando Sinzato — Segunda-feira, 31 Maio 2010 @ 7:01 am | Responder

  14. Caro Orlando Braga, gosto do seu blogue.
    Gostava de saber qual a sua perspectiva sobre o Zeitgeist: Moving Forward

    Obrigado e felicidades.

    Gostar

    Comentar por Riquelme — Terça-feira, 29 Março 2011 @ 9:11 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: