perspectivas

Segunda-feira, 28 Janeiro 2008

O terrorismo em Portugal

Os me®dia do regime andam preocupados com o terrorismo islâmico na Rua da Betesga. Numa altura em que o Sócrates tem sido apertado pelas mais diversas razões, o Jornal de Notícias (o paladino socialista a norte) não fala noutra coisa desde há uma semana para cá. O aumento do leite em 15% não interessa: o que interessa ao povo é o terrorismo islâmico no Bairro Alto.
Que país é este em que o leite aumenta 15% e o IVA dos ginásios diminui de 21% para 5%? É o país do terrorismo islâmico inventado, para que se dê a sensação de que Portugal é um país da Europa: o ordenado mínimo anda nos 400 Euros, mas já somos europeus no terrorismo. Viva o luxo!

De facto, não existe ameaça de terrorismo em Portugal: o terrorismo existe mesmo, está no terreno, e o cabecilha da organização terrorista que actua em Portugal é José Sócrates. As tácticas terroristas clássicas são devidamente utilizadas: propaganda, manipulação dos mídia, desvio das atenções do essencial para o supérfluo, manobras de diversão, criação de factos políticos, e no caso recente do bastonário Marinho Pinto, vemos a perseguição política a quem denuncia o que o povo está cansado de saber. Este país é surreal: uma figura pública faz declarações sobre aquilo que considera ser corrupção ao mais alto nível, e depois a própria polícia bate-lhe à porta intimando-o a provar o que disse. A polícia não existe para investigar, mas para intimar quem se atreve a botar a boca no trombone. Só podem estar a brincar com o pagode…Será que o povo está a engolir esta coisa do terrorismo islâmico madrugador na Avenida 24 de Julho à saída das discotecas? Só se for o terrorismo da ASAE, a controlar o fumo nos locais de diversão nocturnos.

No próximo dia 1 de Fevereiro faz 100 anos que se perpetrou neste país um verdadeiro acto de terrorismo, e o povo português tem vindo amargamente a pagar a factura desde então: o assassínio do rei D. Carlos e do seu filho primogénito. Se existe terrorismo em Portugal, é um terrorismo interno dos herdeiros da Carbonária que raptaram Portugal da sua História, e que agora vendem a soberania do povo em troca de um prato de lentilhas. A ironia suprema da História de Portugal do último século é que os republicanos utilizaram o ultimato inglês – no caso da soberania portuguesa sobre o mapa cor-de-rosa – para condenarem o rei à morte, e agora são os republicanos que entregam toda a soberania portuguesa de bandeja – não já se preocupam com o mapa das colónias, mas entregam o país inteiro e colocam em causa a quintessência lusa em todo o mundo. Estes são os verdadeiros terroristas com que o povo se deveria preocupar.

PS: Quando é que o Correio da Manhã investe a sério no norte, com uma edição nortenha e com um pequeno grupo de jornalistas no terreno?

1 Comentário »

  1. Não digo que não haja propaganda como objectivo de desviar atenções, mas os paquistaneses detidos em Espanha já confessaram que Portugal era um dos alvos, sendo as estações de metro apontadas como alvo preferencial…

    Gostar

    Comentar por Fenéco — Quinta-feira, 31 Janeiro 2008 @ 8:21 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: