perspectivas

Terça-feira, 22 Dezembro 2009

Polícia agride Lord Monckton em Copenhaga

Lord Monckton

O conhecido céptico do aquecimento global, Lord Monckton (Viscount Monckton of Brenchley) foi impedido de entrar na sessão final da conferência de Copenhaga sobre as “alterações climáticas” que não existem. Estava acompanhado por várias pessoas, entre elas o senador australiano Steve Fielding.

Apesar de estar credenciado para poder oficialmente assistir à sessão de encerramento do conferência de Copenhaga, a ONU decidiu que apenas 90 observadores de ONG’s presentes poderiam entrar ― ou seja, apenas poderiam entrar aqueles observadores que tivessem uma verdadeira no aquecimento global.

Depois de ter esperado duas horas ao frio até que os organizadores da conferência decidissem o que fazer com os “indesejáveis” que não arredavam pé da entrada, a polícia dinamarquesa, por ordem dos serviços de segurança da ONU, interveio e agrediu Lord Monckton, deixando estatelado e inconsciente no solo.

Ler o resto aqui.

Quarta-feira, 16 Dezembro 2009

Kopenhagen Entschluss Politik

“Es trat an uns die Frage heran: Wie ist es mit den Frauen und Kindern? Ich habe mich entschlossen, auch hier eine ganz klare Lösung zu finden. Ich hielt mich nämlich nicht für berechtigt, die Männer auszurotten- sprich also, umzubringen oder umbringen zu lassen – und die Rächer in Gestalt der Kinder für unsere Söhne und Enkel groß werden zu lassen. Es musste der schwere Entschluss gefasst werden, dieses Volk von der Erde verschwinden zu lassen.” (1)

— Heinrich Himmler, discurso de 1943

Se o planeta Terra oscilar no seu eixo, como já aconteceu várias vezes desde que foi formado, todas as preocupações dos “aquecimentistas” globais iriam por água abaixo, porque provavelmente uma oscilação do eixo da Terra em apenas dois graus traria um arrefecimento global de tal dimensão que transformaria toda a Europa em uma camada de gelo equivalente à do pólo sul. Para além disso, uma tal oscilação do eixo da Terra daria lugar a um período de catástrofes naturais com vagas de oceânicas a engolir literalmente as regiões costeiras de todos os continentes, e na sequência da acção que tal oscilação axial terrestre teria sobre as placas telúricas, aconteceria uma série terramotos de primeira grandeza em todo o mundo. As consequências de tal oscilação axial terrestre fariam a alegria dos malthusianos utilitaristas e dos niilistas: provavelmente, a população da Terra seria reduzida em [pelo menos] dois terços.

Acontece que a probabilidade de o planeta aquecer 3 graus Celsius até ao fim do século é menor do que a probabilidade de um deslocamento axial que pode acontecer sem qualquer aviso ou sinal, porque a redução dos gases de efeito de estufa passa pela reflorestação do planeta. As plantas alimentam-se de CO2, e mantêm o ciclo de condensação do vapor de água. O que se está a discutir em Copenhaga é um negócio gigantesco a nível global e a atribuição de “jobs for the boys” nos organismos da ONU à custa de um imposto mundial sobre todos os seres humanos cidadãos dos diversos países. Assistimos em Copenhaga à instituição da maior fraude consentida de todos os tempos.

(1) “É-nos colocada a pergunta: o que fazer com as mulheres e as crianças? Encontrei aqui uma solução clara. Não me considerei satisfeito em exterminar os homens – isto é, matá-los ou proporcionar a sua morte – e permitir que os vingadores dos nossos filhos e netos, na forma das suas crianças, possam crescer. A difícil decisão teve que ser tomada para fazer este povo desaparecer da terra.”

Terça-feira, 8 Dezembro 2009

O ambientalismo das “mudanças climáticas antropogénicas” é uma religião gnóstica (3)

O que se está a passar em Copenhaga é uma hierofania, isto é, o aparecimento ou a revelação de uma religião que tem a característica de ser uma corruptela gnóstica judaico-cristã. Se não, reparem neste texto editorial publicado no jornal Público e em mais 56 jornais de 44 países, em que são utilizados termos e conceitos como:
(more…)

Segunda-feira, 7 Dezembro 2009

Histeria em Copenhaga

Perante o que está a acontecer na conferência de Copenhaga do “aquecimento global antropogénico por via do CO2”, fico sem palavras. Sinto náuseas. Existe algo de profundamente errado com os nossos líderes políticos que se deixaram embarcar por um princípio de um processo anti-humanista monstruoso e sem precedentes. É a histeria total, a insanidade mental que resulta de uma lobotomia religiosa gnóstica. É espantoso o que está a acontecer!

É preciso reflorestar o planeta? Claro que sim. É preciso prevenir e não poluir os oceanos? Sem dúvida. É preciso gerir racionalmente os recursos piscatórios e cinegéticos? É óbvio que sim. É preciso substituir paulatinamente o petróleo por energias renováveis? Ninguém duvida disso.

Mas o que é que estes imperativos supracitados têm a ver com um aquecimento global que não existe?! E porque é que esse aquecimento global que não existe é principalmente atribuído aos seres humanos?! O que é que está por detrás de Copenhaga?

E acima de tudo: como foi possível toda esta histeria? Ou estou a ficar velho, ou anda tudo louco…

Fonte das imagens: http://www.geocraft.com/WVFossils/greenhouse_data.html

Theme: Rubric. Get a free blog at WordPress.com

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 516 outros seguidores