perspectivas

Quinta-feira, 18 Outubro 2012

O governo de Passos Coelho esgotou o seu propósito

Filed under: Passos Coelho,Política,Portugal — orlando braga @ 8:24 am

Passos Coelho foi, desde o princípio, um primeiro-ministro de um governo destinado a cumprir um programa.

Um programa é uma sequência de acções predeterminadas que funciona em certas circunstâncias que permitem o seu cumprimento. E se as circunstâncias externas ou internas não são favoráveis, o programa fracassa — que é exactamente o que aconteceu com o programa do governo de Passos Coelho.

Um programa cumpre-se mediante mecanismos automáticos; quem executa um programa não tem muito que pensar — e por isso é que nós assistimos a esta crueza e insensibilidade da parte de Passos Coelho e do seu ministro das finanças. Ambos estão a cumprir um programa que é, por definição, predeterminado, e não têm que pensar em estratégia.

Ao contrário do programa, a estratégia resulta da reflexão, tem em conta o imprevisto, eventuais situações adversas, e valoriza sempre a Informação que pode alterar o curso dos acontecimentos. Mas, para haver estratégia numa organização, esta não pode ser concebida ab initio para obedecer a um programa. Ou seja, por exemplo, quando se forma um grupo de trabalho para executar um determinado programa, seria uma estupidez que se exigisse desse grupo de trabalho a elaboração de qualquer estratégia.

Restaria a Passos Coelho adoptar uma estratégia; mas não o pode fazer, porque a noção de programa opõe-se à noção de estratégia. É praticamente impossível que um mero cumpridor de um programa, como é Passos Coelho, passe a ser um estratega, porque isso seria contraditório em termos.

Se nós já verificamos que o programa que Passos Coelho está a cumprir tem uma enorme probabilidade de não só não atingir os seus objectivos, mas também de fazer retroceder a nossa economia à idade da pedra, então teremos que concluir que o projecto do programa de Passos Coelho fracassou e tornou-se redundante e anacrónico. Passos Coelho deve ser demitido.

Em vez de um governo que apenas cumpre um programa, devemos ter um governo com estratégia.

About these ads

7 Comentários »

  1. O problema é que este é o papel de Portugal desde que entrou para o UE. No geral segue o que a UE define. Se dá errado, o que o FMI e a UE definem em conjunto.
    Para Portugal voltar a ter soberania, não é somente questão de derrubar um PM… O furo é mais embaixo…

    Comentário por conservador — Quinta-feira, 18 Outubro 2012 @ 9:55 am | Responder

    • Isso não é verdade.

      Desde 2000 até 2011, Portugal esteve no Euro. E no entanto, ninguém de fora impôs a Portugal um endividamento excessivo do Estado. Os sucessivos governos socialistas endividaram o Estado porque quiseram e de uma forma SOBERANA: ninguém os obrigou a endividarem-se!

      Portanto, o endividamento excessivo do Estado foi uma estratégia soberana errada, mas não deixou de ser uma estratégia!

      Ora, este governo apenas segue um programa. O que precisamos é de um governo que siga uma estratégia correcta, que passa também por encostar os credores à parede. Se Portugal tem que regredir à idade da pedra para cumprir um programa, então é melhor seguir uma estratégia de recusa de pagamento da dívida.

      A ler:

      http://goo.gl/MJWxF

      Se tivermos que comer merda para pagar a dívida, mais vale não pagar a dívida mesmo que tenhamos que comer merda. Deu para entender?

      Comentário por O. Braga — Quinta-feira, 18 Outubro 2012 @ 12:54 pm | Responder

  2. [...] contexto de guerra mitigada, o programa de Passos Coelho manifesto neste orçamento-de-estado é o de derrotar o país. Quando um país [...]

    Pingback por Portugal está já em estado de guerra mitigada « perspectivas — Quinta-feira, 18 Outubro 2012 @ 3:04 pm | Responder

  3. [...] papel do neoliberal Passos Coelho torna-se irrelevante porque ele obedece cegamente a um programa neoliberal de saque usurário imposto pela estranja. Aliás, este governo não pensa: em vez disso, obedece caninamente. E um governo que não pensa, [...]

    Pingback por A miopia dos neoliberais « perspectivas — Sábado, 20 Outubro 2012 @ 10:37 am | Responder

  4. [...] Em 18 de Outubro de 2012, escrevi: “O governo de Passos Coelho esgotou o seu propósito”. [...]

    Pingback por A liberdade política total | perspectivas — Domingo, 3 Março 2013 @ 10:09 am | Responder

  5. […] Em Outubro de 2012, escrevi o seguinte: […]

    Pingback por “Um governo de gente menor” (José Hermano Saraiva) | perspectivas — Sexta-feira, 22 Novembro 2013 @ 9:08 am | Responder

  6. […] Em Outubro de 2012, escrevi o seguinte: […]

    Pingback por “Um governo de gente menor” (José Hermano Saraiva) | Bordoadas — Sexta-feira, 22 Novembro 2013 @ 9:12 am | Responder


RSS feed para os comentários a este artigo. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Theme: Rubric. Get a free blog at WordPress.com

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 509 outros seguidores