perspectivas

Quinta-feira, 20 Setembro 2012

O João Miranda, as PPP — (Parcerias Público-privadas) e a bovinotecnia

O que o João Miranda diz aqui é que as PPP — (Parcerias Público-privadas) são apenas intermediárias de um negócio realizado entre o Estado português e a Banca internacional. Ora, essa intermediação custa dinheiro ao Estado. Portanto, faz todo o sentido, numa situação de dificuldade financeira do Estado, que a intermediação das PPP — (Parcerias Público-privadas) seja eliminada [provavelmente com uma indemnização].

Conclui o João Miranda que, se as PPP — (Parcerias Público-privadas) forem à falência porque o Estado português está com dificuldades financeiras, o Estado terá então que se entender com os credores internacionais. Pois bem, é isso mesmo que terá que ser feito: revisão dos contratos e, caso seja necessário, os tribunais internacionais existem para este tipo de coisas.

Depois, o João Miranda entra em contradição com o que afirmou anteriormente no mesmo postal quando diz que “não pagar PPPs é o mesmo que fazer default à dívida pública” — para além de ser uma conclusão errada. Quando qualquer Estado do mundo pretende renegociar qualquer contrato com privados, isso não significa automaticamente uma declaração de “default”.

O João Miranda esquece-se ou ignora que o enquadramento legal em que se movem as empresas e a Banca — sejam estas nacionais ou internacionais — tem origem e causa políticas. Ao contrário do que o João Miranda parece pensar, é a política que determina o enquadramento legal em que as companhias se movem. As companhias não actuam em roda livre, embora possa parecer que isso aconteça.

A estratégia argumentativa do espertalhão João Miranda, a favor da continuidade do negócio chorudo e imoral das PPP — (Parcerias Público-privadas), revela duas coisas: a primeira, a imoralidade e a falta de sensibilidade social do próprio João Miranda, o que é uma anormalidade; e em segundo lugar, faz parte da estratégia política bovinotécnica que consiste em tratar o cidadão comum como gado em curral. E tudo isto é feito em nome da “liberdade”.

[ ficheiro PDF do texto bovinotécnico ]

About these ads

Deixe um comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed para os comentários a este artigo. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

The Rubric Theme. Create a free website or blog at WordPress.com.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 497 outros seguidores