perspectivas

Quarta-feira, 5 Setembro 2012

Quatro argumentos contra a pena de morte

Filed under: ética,Justiça,Ut Edita — O. Braga @ 7:29 am

« Most critics of capital punishment pay little attention to the question of “punishment,” focusing almost exclusively on their argument with “capital.” This is a fatal mistake, for as it happens, anyone who agrees that punishment as such is legitimate cannot fail also to agree, if he thinks carefully about the matter, that capital punishment can be legitimate, at least in principle. »

via In Defense of Capital Punishment « Public Discourse.

Alguns católicos são a favor da pena de morte que, aliás, está inscrita no próprio catecismo católico.

A minha oposição à pena de morte prende-se, em primeiro lugar, com o próprio conceito de justiça. A justiça aplica-se ao criminoso enquanto vivo: a partir do momento em que ele é intencionalmente morto, a justiça que repara o crime deixa de ter efeito — a justiça entra então em contradição com a sua própria essência. A morte intencional do criminoso não repara o seu crime nem assegura o princípio de retribuição da culpa do crime, na medida em que um morto não pode sentir culpa.

Em segundo lugar, um homicida aos 20 anos pode não ser um homicida aos 80 anos. Com o tempo, as pessoas mudam. E há que dar ao homicida a oportunidade de mudar, apesar do seu crime.

Em terceiro lugar, sou a favor da prisão perpétua para os crimes mais graves, em vez da pena de morte. A justiça não se pode reduzir a uma gestão economicista que prefere matar o criminoso em vez de o sustentar toda a vida na prisão. Por exemplo, no caso do sueco Anders Behring Breivik, eu seria a favor da prisão perpétua, e não dos 21 anos de pena com que ele foi condenado. Nem oito, nem oitenta; nem pena de morte, nem penas ligeiras para crimes graves.

Por último: não sou Deus. Se eu fosse Deus, teria a certeza se a pena de morte se deveria aplicar, ou não. E não sendo eu Deus, tenho dúvidas. E em caso de dúvida, devemos optar pela acção menos radical. O problema de muitas pessoas é pensarem que são Deus.

About these ads

2 Comentários »

  1. Ótimo, é isso que eu estou tentando explicar no meu trabalho escolar e as pessoas não entendem, valeu pela matéria, vou impromir e usar em meu trabalho de sociologia.

    Comentário por Caleb Andrade — Quinta-feira, 29 Novembro 2012 @ 4:47 pm | Responder

  2. 125 presos nos EUA foram libertos nos EUA do corredor da morte nos últimos 20 anos !

    Comentário por Hamilton Oliveira — Quarta-feira, 13 Novembro 2013 @ 5:15 am | Responder


RSS feed para os comentários a este artigo. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Theme: Rubric. Get a free blog at WordPress.com

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 525 outros seguidores