perspectivas

Quinta-feira, 16 Agosto 2012

As ideias nazis de Peter Singer

Podemos afirmar, com a pertinência e racionalidade possíveis, que Peter Singer tem ideias nazis; e o mais grave é que essas ideias nazis são hoje acolhidas como boas nos ambientes académicos de todo o mundo.

Peter Singer reconhece, neste artigo, que do ponto de vista da ciência, um feto é um indivíduo da espécie homo sapiens; neste aspecto, Singer está de acordo com a ideia de que o feto é um ser humano. O que Peter Singer coloca em causa é a exigência ética segundo a qual — e porque o um feto é um indivíduo da espécie homo sapiens mas não é uma “pessoa consciente” — o feto tem o mesmo direito à vida que outro ser humano qualquer.

“Opponents will respond that abortion is, by its very nature, unsafe – for the fetus” (…) “They point out that abortion kills a unique, living human individual. That claim is difficult to deny, at least if by ‘human’ we mean ‘member of the species Homo sapiens.”

(…)

“It is also true that we cannot simply invoke a woman’s ‘right to choose’ in order to avoid the ethical issue of the moral status of the fetus” (…) “If the fetus really did have the moral status of any other human being, it would be difficult to argue that a pregnant woman’s right to choose includes the right to bring about the death of the fetus, except perhaps when the woman’s life is at stake.

“The fallacy in the anti-abortion argument lies in the shift from the scientifically accurate claim that the fetus is a living individual of the species Homo sapiens to the ethical claim that the fetus therefore has the same right to life as any other human being.”


O absurdo da situação da cultura do Zeitgeist [do nosso tempo] é o de que se Joseph Goebbels vivesse hoje, provavelmente seria professor de filosofia e ética numa nomeada universidade americana ou europeia. E tal como foi no tempo do nazismo [o Hitlerismo era de esquerda!], Goebbels seria hoje de esquerda.

Para que se tenha uma ideia do que representa Peter Singer, ele defende, por exemplo, 1) o direito da mulher matar, a seu bel-prazer, o seu bebé já nascido [direito ao infanticídio]; 2) o direito do Estado executar sumariamente, como se de criminosos perigosos se tratassem, as pessoas com demência; 3) o direito ao sexo entre humanos e animais, na medida em que Singer defende a ideia segundo a qual “os animais dão consentimento sexual”; e 4) o direito a que o Estado possa utilizar os seres humanos com inibição cognitiva — por exemplo, dementes ou doentes com Alzheimer — para experiências médicas.

O “problema Peter Singer” é, antes de mais, o de saber até que ponto a liberdade de expressão deve ser tolerada. Na minha opinião, ideias como as de Peter Singer deveriam ser liminarmente censuradas, da mesma forma que devem ser censuradas as ideias das pessoas que defendem aberta e explicitamente, por exemplo, o assassínio de homossexuais. E mais: numa sociedade decente, Peter Singer não seria professor universitário: em vez disso, passaria a cavar batatas.

As ideias de Singer são de tal forma absurdas que qualquer tentativa de as refutar se torna também absurda. Seria como se alguém nos pedisse para refutar a proposição “1+1=1.256”; de tal modo é auto-evidente que “1+1=2″, que qualquer tentativa de provar que esta última proposição é verdadeira, e a primeira falsa, seria absurda.

É difícil distinguir as ideias de Peter Singer das ideias dos mentores do nazismo, por exemplo, das ideias que permitiram a acção de gente como Aribert Heim, aka “Doutor Morte”, ou de Joseph Mengele. Podemos afirmar, com a pertinência e racionalidade possíveis, que Peter Singer tem ideias nazis; e o mais grave é que essas ideias nazis são hoje acolhidas como boas nos ambientes académicos de todo o mundo.

About these ads

Deixe um comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed para os comentários a este artigo. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Theme: Rubric. Get a free blog at WordPress.com

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 504 outros seguidores