perspectivas

Terça-feira, 14 Agosto 2012

A direita paternalista

«Os movimentos culturais dos anos cinquenta e sessenta no Ocidente fizeram algum sentido ao por em causa poderes e instituições demasiadamente rígidas e tendencialmente hipócritas.»

via A liberdade de perder a liberdade – Corta-fitas.

A alternativa à censura cultural e comportamental “tendencialmente hipócrita”, é a hipocrisia total consumada mediante a censura do pensamento.

A não-esquerda tende a ver a esquerda como um movimento de idiotas bem-intencionados e de irresponsáveis que não sabem o que andam a fazer. Contudo, basta constatarmos a coincidência de pontos-de-vista existente entre a esquerda, por um lado, e George Soros & Plutocracia Lda., por outro lado, para verificarmos que as idiotices do Bloco de Esquerda e da ala radical do Partido Socialista nada têm de idiota.

A esquerda dispõe de intelectuais orgânicos que programam a sua agenda política a décadas de distância. Por exemplo, o conceito político e ideológico de “terceira-via” foi gizado em princípios da década de 1950 pelo intelectual marxista heterodoxo Merleau-Ponty, com o intuito de sublimar e branquear politicamente os excessos de Estaline; e foi preciso que o muro de Berlim caísse para que, já na década de 1990, Tony Blair e quejandos lançassem a ideia de “terceira-via”, como se de uma novidade se tratasse. Aquilo que aos olhos do povo era uma “coisa nova”, já tinha pelo menos 40 anos de idade.

E, no entanto, a não-esquerda teima em subestimar o radicalismo de esquerda; teima em dizer que o esquerdalho é apenas um bando de irresponsáveis com um comportamento errático, uma cambada de inimputáveis que deveria ser interditada. Todos estes atributos podem até ser verdadeiros, mas também é verdade que o movimento revolucionário obedece a um plano que não é, de todo, errático. Se é verdade que os planos existem para falharem, também é verdade que existem para que se falhe o menos possível.

Ao contrário da esquerda, a direita não tem praticamente intelectuais orgânicos; e aqueles poucos que existem são considerados pela esquerda e pela não-esquerda como sendo lunáticos de extrema-direita e fascistas; e racistas; e homófobos; etc., o que significa que a não-esquerda é apenas uma esquerda em estado de negação: são os “independentes de direita” que, parafraseando Lenine, “são os idiotas úteis de esquerda”; são de esquerda sem terem plena consciência disso.


« (…) a lógica do liberalismo político leva-o a tolerar ideias ou movimentos que têm como finalidade destruí-lo. A partir daí, perante a ameaça, o liberalismo está condenado, quer a tornar-se autoritário, isto é, a negar-se ― provisória ou duradouramente ― a si mesmo, quer a ceder o lugar à força totalitária colocada no poder por meio de eleições legais (Alemanha, 1933) »

— Edgar Morin, ex-militante do Partido Comunista Francês

A ideia segundo a qual é possível erradicar do mundo uma sociedade tendencialmente hipócrita, é absurda, e é um conceito ideológico de esquerda que se baseia na ética intencionalista neoplatónica [utopia].

Aqui, Santo Agostinho e os franciscanos medievais têm alguma culpa no cartório. E o povo, sabiamente, diz que “de boas intenções está o inferno cheio”, o que denota a força que o senso-comum pode ter no combate contra a utopia.

O senso-comum diz-nos que o cidadão deve ser avaliado — e julgado — pelos seus actos concretos e objectivos, e não por aquilo que se pressupõe ser hipotética e eventualmente a sua intenção na acção.

Não podemos entrar na subjectividade dos outros. E a alternativa a uma qualquer sociedade “tendencialmente hipócrita”, é uma sociedade totalmente hipócrita em que se julgam as pessoas pelas suas alegadas e putativas intenções, e não pelas consequências práticas dos seus actos.

A alternativa à censura cultural e comportamental “tendencialmente hipócrita”, é a hipocrisia total consumada mediante a censura do pensamento.

About these ads

1 Comentário »

  1. [...] acerca da proposta de lei do Bloco de Esquerda para a legalização do consumo de [...]

    Pingback por Para onde vai o Bloco de Esquerda ? « perspectivas — Terça-feira, 14 Agosto 2012 @ 11:19 am | Responder


RSS feed para os comentários a este artigo. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Theme: Rubric. Get a free blog at WordPress.com

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 516 outros seguidores