perspectivas

Quarta-feira, 2 Setembro 2009

O que está por detrás da Nova Ordem Mundial ?

Winston Churchill dizia da União Soviética que era “um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma”. A eleição de Barack Hussein Obama e os desenvolvimentos da política globalista são um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma. Para o cidadão com alguma estatura intelectual, e mesmo para os políticos de países mais pequenos como Portugal e países do terceiro-mundo, o que se está a passar nos areópagos internacionais é um quebra-cabeças envolvido num mistério, dentro de um enigma. O que é Nova Ordem Mundial?

O Uróboro

O Uróboro

Ainda recentemente ― podem procurar no google ― Henry Kissinger dizia publicamente que a China é o exemplo a seguir em termos de política global, apesar dos chineses recusarem a redução das emissões de CO2 porque não são burrinhos de todo e sabem da política de propaganda escatológica do poder globalista. Mas onde se encaixa, neste cenário, a surpreendente colaboração da esquerda marxista com a plutocracia de Wall Street e City de Londres?

Se ouvirmos Georges Soros e José Sócrates falarem do aquecimento global ― perdão, mudanças climáticas ― ou da ameaça global da gripe suína [com intenções claras de criar o pânico na população] parecem que lêem todos da mesma cartilha. Naturalmente que se José Sócrates diz que é de esquerda, temos que convir que comunga muitas das ideias de George Soros, Al Gore, Henry Kissinger, etc. E mesmo o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista não discordam abertamente da propaganda me®diática comandada por Bilderberg, Trilateral e comandita.

A forma encontrada pelos mais poderosos do mundo é a síntese entre o fascismo e o neo-marxismo. Podemos chamar a esse novo sistema político de “marxismo-fascista” ou Nova Ordem Mundial.

Através do “marxismo-fascista”, os poderosos comprometem-se a dar aos caciques das esquerdas neomarxistas nacionais [os socialistas fabianos ou gramscianos] o poder político totalitário ou para-totalitário, em troca de um sistema similar ao chinês: um país totalitário neo-marxista aberto às multinacionais. Ademais, os poderosos exigem dos caciques neomarxistas locais [ou socialistas fabianos] a obediência incondicional à ONU, que será reforçadamente controlada pelos Bilderbergers, e que terá poderes acrescidos em algumas áreas cruciais como a educação, cultura e políticas de reprodução.

Outra das condições impostas aos caciques neomarxistas locais é a progressiva extinção da classe média em todo o mundo: passará a existir uma pequena e rica elite nacional ligada ao poder totalitário, e uma classe operária orgulhosa da revolução neomarxista e popular. A China é o paradigma de Bilderberg.

O fascismo é um sistema político através do qual as corporações controlam o Estado, enquanto que no marxismo, o Estado controla as corporações.

Podemos facilmente imaginar um fascismo global em que as grandes corporações multinacionais com sede em paraísos fiscais controlam os Estados, e em troca, os poderosos da finança internacional permitem a existência de países — ou leviatões como a União Europeia e outros que se formarão — onde uma elite dirigindo o Estado controle as corporações. Quid pro quod. Isso já acontece em alguns países da América Latina (Hugo Chavez y sus amiguitos).

Portanto, a Nova Ordem Mundial é basicamente uma mistura original entre neo-marxismo aplicado a nível nacional e de um fascismo global. Pretende-se um mundo fascista a nível macro-económico global, e totalitário neomarxista a nível da micro-economia de cada país.

Este é o plano de Bilderberg, Trilateral, Maçonaria e comandita, que tem o apoio tácito da esquerda fabiana e marxista. Para levar avante o plano, os plutocratas controlam já os me®dia a nível global, porque esse plano não pode ser realizado pela força bruta senão pela propaganda ― e assim se explica a propaganda apocalíptica em torno do aquecimento global que não existe, na ruptura cultural relativista em torno da e eutanásia para todos, aborto para todos e “casamento” gay, do pânico que se pretendeu instalar com a gripe suína, etc.

A guerrilha cultural e psicológica, que tem por efeito a desorientação dos povos em relação à sua própria natureza e identidade, é realizada através da propaganda massiva dos me®dia controlados, e é um ponto-chave da estratégia do marxismo-fascista que merece o apoio geral da esquerda por motivos óbvios: a esquerda, melhor que ninguém, tem os instrumentos políticos necessários para que o fascismo global seja implementado.

Como significa o símbolo do uróboro, o poder eternaliza-se mordendo a sua própria cauda.

About these ads

12 Comentários »

  1. O “marxismo-fascista” – a síntese – na realidade é o Comunitarianismo, cujo principal cabeçudo é Amitai Etzioni:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Amitai_Etzioni

    Muita informação (devidamente documentada) aqui:

    http://nord.twu.net/acl/

    Notícias (com actualização frequente) aquí:

    http://nikiraapana.blogspot.com/

    Mais textos (da mesma autora) aquí:

    http://www.newswithviews.com/Raapana/nikiA.htm

    Estranhamente (ou não) este termo “escapa” a muitos “teoristas da conspiração”…
    De certa forma é a peça que faltava ao puzzle.

    Parabéns pelo excelente blog, que faz parte das minhas leituras diárias obrigatórias.

    VD

    Comentário por VD — Quarta-feira, 2 Setembro 2009 @ 6:42 am | Responder

  2. E já agora, fica aqui o link directo para a versão online de “The Anti Communitarian Manifesto”, uma leitura interessante:

    http://nord.twu.net/acl/dialectic.html

    VD

    Comentário por VD — Quarta-feira, 2 Setembro 2009 @ 7:01 am | Responder

  3. Pena que não haja muitas pessoas com a sua capacidade de raciocínio e de expressão, aqueles que pensam são cada vez menos.
    Bom trabalho!

    Cumprimentos,

    Comentário por NC — Quarta-feira, 2 Setembro 2009 @ 10:39 am | Responder

  4. @ VD : obrigado pelos links. Desconhecia-os.

    @ NC : há que denunciar essa gente.

    Comentário por O. Braga — Quarta-feira, 2 Setembro 2009 @ 4:41 pm | Responder

  5. Em relação ao primeiro comentário do VD:

    1.
    Link: http://nord.twu.net/acl/

    A informação contida nesse link não é fiável embora contenha algumas verdades acerca da dialéctica de Hegel e do seu ilogismo. Por exemplo, Burke atacou a revolução francesa e americana não porque era contra a América ou contra a França, mas porque era um conservador, e até foi um seguidor puro de John Locke que o texto reclama como uma herança americana. A razão por que Burke atacou as revoluções foi porque era contra o jacobinismo Illuminati ― maçonaria ― que esteve não só pode detrás da revolução francesa como da americana. Este é um exemplo das muitas incorrecções que encontramos nesse texto.

    2.
    O comunitarismo de Amitai Etzioni não é a mesma coisa que o “marxismo-fascista” que descrevi neste postal. O marxismo-fascista é um compromisso entre o grande capital e a esquerda estendido a todo o globo, assim como existiu um compromisso entre o grande capital e Estaline que incluiu o financiamento do regime de Estaline durante os primeiros anos da revolução soviética ― o que levou à dissensão de Trotski.
    O comunitarismo é um neomarxismo “tout-cours” que resulta de uma síntese dialéctica marxista; o marxismo-fascista é um compromisso entre opostos que serve os dois lados que se opõem, é uma nova “détente” que não tem blocos separados como durante a guerra fria, mas que é estendida a todo o globo porque convém a ambas as partes (alta finança, de um lado, e o marxismo cultural ou socialismo fabiano, do outro lado).

    Comentário por O. Braga — Quinta-feira, 3 Setembro 2009 @ 4:23 am | Responder

  6. Certo. Confesso a minha ignorância… Talvez fazer chegar essas correcções às autoras?
    No entanto parece-me bom dar algum destaque ao assunto (foi aqui a primeira vez que li algo sobre isto em português!), porque caso seja o que está reservado para nós, é um panorama assustador…

    Comentário por VD — Sexta-feira, 4 Setembro 2009 @ 6:01 am | Responder

  7. Muito interessante.
    Foi a primeira vez que li algo sobre a N.O.M. escrito em portugues.
    O facto e que esta a ter lugar uma revolucao.
    Uma revolucao de certo modo pacifica mas que nao deixa de ser uma revolucao pois implica a destruicao de TODOS os valores ate ha agora aceites e praticados pelas sociedades democraticas (?) ocidentais e que estao aos poucos –lentamente para nao assustar as massas — a ser substituidos por uma Agenda de Novos Valores ( a “Cultura da Morte” compreendida pelo trio Aborto-Eutanasia-Eugenia , Relativismo Moral, Multiculturalismo, o Fascismo Ecologico ( a Fraude do Aquecimento Global) , o Secularismo anti-religiao, a destruicao da Familia tradicional, a destruicao do Nacionalsimo Patrio, etc..etc..etc..
    Esta revolucao de inspiracao CAPITALISTA ( os Super-Ricos e Poderosos e as Corporacoes Multinacionais ) esta em curso ha anos e a actual crise e uma oportunidade ‘dourada’ que vai ajudar a dar ainda mais impulso e apressar a cricao de um Governo Mundial Socialista que estara ao servico do Grande Capitalismo Globalista Euro-Americano.

    E obvio que havera resistencia, mas com os Governantes dos paises ( ou da U.E.) ao seu servico, a N.O.M. esta confiante que eles conseguirao levar os povos pelo rumo certo e atingirao o objectivo final.
    E o objectivo e a dupla PODER/LUCRO. Controle apertado sobre as massas e maximizacao de lucros.
    Tentar eliminar as reivindicacoes das massas trabalhadoras –e nao pensem os que nao trabalham em fabricas que nao erao igualmente atingidos; para a N.O.M. TODOS sao OPERARIOS ! — enfraquencedno e controlando os sindicatos de modo a baixar salarios , beneficios e eliminar outros tipos de exigencias.
    Abolir aos poucos a classe media — nela sao originadas as contestacoes mais perigiosas para o sistema — e uma das primeiras etapas.
    Dai que a CHINA caiu como Man mandqado do Ceu.
    A CHINA e o pais IDEAL da N.O.M.. Nao ha nenhum individuo ( nao e so Henry Kissinger …) dentro da N.O.M. que nao aprove aquilo que a China esta fazendo.
    As massas trabalham laboriosamente sem fazer reivindicacaoes ( radiantes por terem um trabalhinho !) , os sindicatos colaboram, os lucros sao fabulosos… uma situacao ideal que ainda por cima serve para ameacar as massas operarias Ocidentais quando estas fazem exigencias. Se pedes mais a fabrica ainda vai parar a China ( ou Viet-Nam, ou India…ou Mexico …).

    Claro que a China colabora com a N.O.M. naquilo que lhes interessa mas nao alinha pelas regras da N.O.M. — a Maconaria nunca entrou na China ! –e em muita coisa vai continuar a nao alinhar. Na Fraude do Aquecimento Global, por exemplo.
    Os Chineses nao querem saber disso para nada e vao contuinuar a fazer o que lhes apetecer. Qual aquecimento qual carapuca !
    Isso e coisa para impingir as elites secularistas e liberais ocidentais que precisam de se agarrar a uma religiao, nao tradicional, e escolhem a religiao da Ecologia !.
    E querem saber uma coisa?
    Enquanto no Ocidente as regras ambientais vao ser cada vez mais apertadas…a China ( e a India!) sera dada uma “isencao” para permitir que o pais continue a “desenvolver-se”…para beneficio do Grande Capital Globalsita e dos seus domnos a clique da N.O.M. ( e seus tentaculos…Bildeberg, Trilateral Commission, Council On Foreign Relations, etc…) .

    Comentário por RENATO NUNES — Domingo, 13 Setembro 2009 @ 3:54 pm | Responder

  8. Só para desenvolver de certa forma o assunto que está muito bem colocado neste post deixo aqui o seguinte link:

    Tese x Antítese = SínteseSíntese — é o novo sistema híbrido produzido pela batalha constante entre a Tese e a Antítese. A Síntese está planejada para ser uma economia fascista, …
    http://www.espada.eti.br/n1007.asp

    Comentário por Afonso — Terça-feira, 4 Janeiro 2011 @ 3:16 pm | Responder

  9. Caro Orlando, este é um artigo histórico, nunca vi a coisa tão bem explicada como aqui está. Vou divulgar.

    Comentário por htsousa — Terça-feira, 4 Janeiro 2011 @ 5:00 pm | Responder

  10. Afonso, os Illuminati existiram e ainda existem, mas a sua origem remonta às Religiões dos Mistérios do Antigo Egipto, e não surgiram apenas no século XVIII. O próprio símbolo do Olho remonta ao antigo Egipto.

    Por outro lado, a dialéctica hegeliana (tese / antítese / síntese) surgiu depois de Weishaupt, porque Hegel viveu e escreveu no século XIX.

    Comentário por O. Braga — Terça-feira, 4 Janeiro 2011 @ 5:29 pm | Responder

  11. Outro texto magnífico. Ainda bem que uma das poucas penas que vale ler na net em português, abordou este tema. Orlando, permita-me sugerir-lhe “Tragedy and Hope” the Carrol Quigley (algures disponível em .pdf. Vale bem uma leitura apesar do milhar de páginas(!). Mas reportando-se mais directamente a este tema há uma obra recente de Jim Marrs que abora esta questão logo no primeiro capítulo, e de forma muito similar à sua análise. Força nisto, Orlando!

    Comentário por Pedro Marcos — Terça-feira, 4 Janeiro 2011 @ 8:37 pm | Responder

  12. Esqueci-me: a obra de Jim Marrs é “The Rise of the IV Reich”.

    Comentário por Pedro Marcos — Terça-feira, 4 Janeiro 2011 @ 8:39 pm | Responder


RSS feed para os comentários a este artigo. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

The Rubric Theme. Blog em WordPress.com.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 497 outros seguidores